Falsa herdeira que enganou elite nova-iorquina pode passar até 12 anos na prisão

A russo-alemã Anna Sorokin, que se passou por uma herdeira milionária para aplicar golpes em hotéis de luxo de Nova York, bancos e amigos da moda, foi condenada a passar de 4 a 12 anos de prisão nesta quinta-feira, 9. Acusada de ter roubado US$ 275 mil, ela foi considerada culpada por oito dos dez crimes denunciados pela procuradoria.  Anna Sorokin
Anna Sorokin comparece a uma corte em Nova York   Foto: Steven Hirsch/Reuters
Filha de um caminheiro russo, ela era conhecida como Anna Delvey por seus amigos de Manhattan, uma suposta socialite vestida com roupas caras cujos cartões de crédito voltavam recusados com frequência, apesar de alegar ter um fundo de segurança. 
Entre novembro de 2016 e agosto 2017, Anna conseguiu viajar em jatos particulares de graça e ostentou uma vida de luxo em Manhattan, sem que as contas fossem pagas. 

Empréstimos

Promotores de justiça americanos disseram que Anna fingia ter US$ 67 milhões em ativos. Segundo eles, ela chegou a usar extratos bancários forjados para pedir um empréstimo de US$ 22 milhões a um banco para financiar um clube de artes privado que ela queria abrir em Manhattan. 
No fim, ela conseguiu um empréstimo de US$ 100 mil, que os promotores disseram que ela nunca pagou. Ela usou cerca de US$ 30 mil para cobrir as contas em atraso no elegante hotel Howard, onde morava. 
Os promotores disseram que ela também depositou cheques sem fundos no valor de US$ 15 mil em uma conta no Signature Bank e conseguiu retirar US$ 8,2 mil em dinheiro antes de os cheques serem devolvidos. 
Ela também enganou um amigo para cobrir as contas de US$ 62 mil no fim de uma viagem de luxo de seis noites para o Marrocos depois que o cartão de Sorokin foi recusado, disseram os promotores. Mas o júri recusou-se a condenar Sorokin por essa acusação. 

Looks

Anna não gosta de macacões comuns das detenções. Então seus advogados chamaram um estilista para vesti-la para suas aparições no tribunal, e sua aparência diária tornou-se o assunto de uma conta no Instagram. 
Vanessa Friedman, a principal crítica de moda do New York Times, escreveu que os looks foram "cuidadosamente trabalhados". 
O Departamento de Imigração e Alfândega dos EUA afirmou em comunicado que Sorokin era uma cidadã alemã que havia permanecido ilegalmente nos Estados Unidos. A agência disse que vai tentar mandá-la de volta à Alemanha assim que o processo criminal acabar. 
Os roteiristas de televisão Shonda Rhimes e Lena Dunham estão trabalhando separadamente na adaptação da história de Anna Delvey para a tela, de acordo com informações da imprensa americana./
Estadão 


BORGES NETO LUCENA INFORMA

Comentários