Operação prende três pessoas acusadas de assassinar integrantes do MST, em Alhandra


A Polícia Civil da Paraíba cumpriu 3 mandados de prisão dentro da operação “Ampulheta”, deflagrada na manhã desta sexta-feira (17). Os alvos são investigados pelo duplo homicídio de dois líderes sindicais no ano passado.
A Operação Ampulheta foi deflagrada em razão de um duplo homicídio ocorrido em 8 de dezembro do ano passado em Alhandra, Litoral Sul da Paraíba, onde dois integrantes do MTST-PB foram assassinados.
Dos mandados, dois foram cumpridos em João Pessoa e outro no município de Alhandra. As ações foram coordenadas pela Delegacia Seccional de Alhandra, com apoio de outras equipes, inclusive o Grupo de Operações Especiais (GOE) da Polícia Civil.
Mandados de prisão preventiva foram cumpridos em um condomínio na orla do Cabo Branco e no bairro José Américo, na capital, e o terceiro no acampamento Dom José Maria Pires, em Alhandra. No Cabo Branco também foi executado um mandado de busca e apreensão.
A Polícia Civil também procura um quarto acusado de participar do crime. Buscas estão sendo realizadas na zona urbana de Mari, município na Zona da Mata da Paraíba. Até às 8h, porém, ninguém havia sido preso na região. 
Relembre:
Os dois integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra na Paraíba (MTST-PB) foram mortos no acampamento Dom José Maria Pires em dezembro de 2018. O local fica em uma fazenda ocupada pelo MTST desde julho de 2017.
De acordo com a polícia, dois homens encapuzados invadiram o acampamento e executaram José Bernardo da Silva, conhecido como Orlando, e Rodrigo Celestino




BORGES NETO LUCENA INFORMA

Comentários