Dos confeitos à presidência da ALPB: a trajetória e atuação política de Adriano Galdino

A trajetória e atuação política do presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), o deputado estadual Adriano Galdino (PSB), foram exaltadas na coluna desta sexta-feira (7) da jornalista Lena Guimarães, no Correio da Paraíba Online.

Destacando os 23 anos de vida pública, além de seu perfil articulador, o artigo traz um panorama dos principais momentos da atividade política do homem que saiu de Pocinhos e ganhou a Paraíba.
Confira o texto na íntegra:

Reconhecimento

Por Lena Guimarães
Embora há 23 anos na política, quando chegou à Assembleia Legislativa, em 2011, Adriano Galdino era muito conhecido em Pocinhos, onde fez carreira, mas não no Estado. Foi convocado para o Executivo, para abrir vaga para suplentes. Ocupou as Secretarias de Interiorização e Casa Civil, mas sempre longe holofotes.
Portanto, foi uma surpresa o lançamento de seu nome para a presidência do Poder Legislativo, em 2015, para enfrentar o articulado deputado Ricardo Marcelo, que tentava a reeleição. Foi disputa dura, mas venceu. O placar marcou 19 a 17 votos.
E de coadjuvante, Adriano Galdino virou protagonista da política estadual. Foi decisivo para o governador Ricardo Coutinho, que antes tinha dificuldades para aprovar matérias na Casa. A maioria que não conseguiu nas urnas, foi obtida graças aos acordos fechados nessa eleição, que aproximaram oposicionistas dos governistas.
Adriano Galdino mostrou-se um articulador competente. Foi decisivo para o arquivamento da CPI do Empreender, em 2015. Instalada, poderia ter dado uma dimensão maior as denúncias de uso da máquina pública na reeleição do governador Ricardo Coutinho. Esse caso ainda aguarda para ser julgado pelo TRE.
A presidência de Galdino foi extremamente positiva para o governo, mas ele manteve diálogo com todos, o que lhe garantiu, há quatro meses, confiança para ser eleito para dois mandatos consecutivos na Presidência, com apoio da oposição e contrariando as articulações do ex-governador, que desejava um período para Hervázio Bezerra.
O jeito de ser de Galdino foi determinante. Todos destacam que ele é do diálogo e que não tenta “tratorar” os opositores; que não impõe, mas defende seus pontos de vista. Essa deve ser uma das razões da Comissão de Constituição e Justiça ter aprovado para ele, por unanimidade, a maior honraria da casa: a Medalha Presidente Epitácio Pessoa.
Adriano Galdino conta com orgulho suas origens pobres e sua história de superação – foi vendedor de confeitos para ajudar a mãe a alimentar os irmãos, formou-se em Engenharia Civil e Direito, foi vereador, três vezes prefeito de Pocinhos e está no terceiro mandato de deputado estadual -, mas a unanimidade na honraria é resultado de seu papel na nova forma de fazer política na Paraíba.
PB AGORA



BORGES NETO LUCENA INFORMA

Comentários