Justiça condena sete réus da Operação Dragão

Sete réus da Operação Dragão, acusados de tráfico de drogas, foram condenados pela Justiça de Campina Grande. A sentença foi proferida pelo juiz Edivan Rodrigues Alexandre, titular da Vara de Entorpecentes do município.
Os sete réus condenados fazem parte do Núcleo V da Organização Criminosa (Orcrim). Na sentença, o juiz afirma que se trata de organização de alta periculosidade onde os principais membros do grupo ordenavam a prática de delitos a fim de manter o comando do tráfico, atitudes essas que vão desde a distribuição de drogas até a execução de inimigos da Orcrim.
“Observa-se que há elementos probantes suficientes para condenar os denunciados pelo crime de organização criminosa: número de envolvidos, crime praticado com pena máxima maior de quatro anos, a identificação das atribuições de cada um dos integrantes, a apreensão de drogas destinadas ao grupo criminoso, prova pericial indicando se tratar de apreensão de substância ilícita. Tudo isso são provas cabais a indicar a autoria e a materialidade do delito, razão pela qual a condenação é consequência necessária para o caso em apreço”, destaca a sentença.
No total, foram denunciados pelo Ministério Público 42 réus, acusados de integrarem uma Organização Criminosa voltada para a prática de diversos delitos, que culminaram na Operação Dragão. A organização é acusada de praticar, de forma contínua e orquestrada, tráfico de drogas, comércio ilegal de armas e munições, crimes patrimoniais, além de homicídios relacionados ao tráfico de drogas.
A Operação Dragão foi realizada pela Polícia Civil da Paraíba, por meio da Delegacia de Repressão a Entorpecentes de Campina Grande, objetivando a desarticulação e mapeamento do comércio de drogas na cidade e nos municípios circunvizinhos.
MaisPB


BORGES NETO LUCENA INFORMA

Comentários