Doações de leite humano diminuem e Banco de Leite do Cândida Vargas reforça campanha para fim de ano


 Com a chegada do fim de ano e a possibilidade de queda no estoque do Banco de Leite Humano Zilda Arns, do Instituto Cândida Vargas, a instituição reforça a campanha para doações. Em entrevista ao ClickPB, a coordenadora, Daniela Maciel, explica como funciona o processo de doação e destaca que as mães interessadas não precisam sair de casa, já que uma equipe da unidade se desloca até a residência,  "basta que envie uma mensagem por whatsapp ou um telefone solicitando", disse.

Por meio do programa Rota Domiciliar, que funciona de forma direta com as mães em suas próprias casas, mesmo neste período de pandemia, uma técnica de enfermagem vai até a residência para fazer a coleta. A mãe doadora deve estar saudável, sem nenhum processo gripal, doença infectocontagiosa nem ter tomado medicamento de uso contínuo, como psicotrópicos. As interessadas devem ligar no 3214-1390 ou contato via WhatsApp 98795-8192 e fazer o cadastro e/ou agendamento. 

De acordo com Daniela, o período de fim de ano e início marcam uma baixa no estoque, motivo pelo qual é preciso reforçar as doações. “O estoque não pode cair, ele representa vida para os bebês prematuros”, alerta a profissional de saúde. 

Em 2020, 751 litros de leite foram doados desde janeiro. Só no mês de setembro, foram coletados 107 litros de leite e distribuídos mais de 80 litros. “Um exemplo é que foram doados 107 litros e distribuídos em média de 80 litros no mês de setembro, sendo 40 para bebês prematuros de baixíssimo peso, internados nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI), Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) e do Método Canguru, na própria maternidade”, explicou.

O leite doado, quando chega ao banco, recebe todo o processo de qualidade e avaliação para depois ser distribuído para os bebês prematuros, com critérios de distribuição solicitados pelo médico, nutricionista, dermatologista responsáveis pelo plantão. O leite tem que ter a caloria e acidez necessária para o bebê.

Para as mães internas, tem o posto de coleta dentro do hospital, onde ela recebe orientações a respeito do aleitamento e os cuidados necessários para que a amamentação seja um ato prazeroso, tanto para a mãe como para o bebê.

O Banco de Leite Humano Zilda Arns foi criado no ano de 2010 para dar suporte as mães, internadas na maternidade ou que pariram em outras instituições, públicas ou privadas, e estão com alguma dificuldade, que tenham queixas no período da amamentação, ou até mesmo durante a gestação

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO