Sofria espancamento cronicamente’, diz laudo de criança de 1 ano morta em CG; mãe é suspeita


Foto: Arquivo/agência Brasil

Uma criança de um ano e dois meses, moradora do Conjunto Aluízio Campos, em Campina Grande, foi morta nessa segunda-feira (23). A principal suspeita do crime é a mãe. O Sistema Arapuan teve acesso ao laudo tanatoscópico que aponta a causa mortis (leia ao final da matéria).

“O menor sofria espancamento cronicamente, contudo a última agressão física contundente – espancamento – causou a morte por lesão de órgãos abdominais e hemorragia; havendo também sinais de asfixia que são as petéquias na conjuntiva ocular e tecido pulmonar”, diz o relatório.

De acordo com a delegada que investiga o caso, a vítima foi levada até o hospital já sem vida e apresentava sinais de espancamento. A médica que tentou realizar a reanimação apontou hematomas na testas e costas da criança e por isso acionou a polícia.

A acusada nega que tenha batido na criança e que ela tinha caído de cima de uma bicama no dia anterior, mas a avó revelou que a progenitora havia sido processada anteriormente por espancar outro filhos (ela tem cinco no total).


Yves Feitosa