PMJP proíbe uso da faixa de areia, barracas e show pirotécnico na orla para evitar aglomerações

 


APrefeitura de João Pessoa e os demais órgãos, como Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb) e órgãos de vigilância sanitária do Município e Estado, vão realizar uma fiscalização rigorosa para evitar qualquer atividade de lazer e entretenimento que possa provocar aglomerações em locais públicos no fim de ano.

A informação foi dada pelo secretário municipal de Saúde de João Pessoa, Adalberto Fulgêncio, durante coletiva de imprensa na manhã deste sábado, juntamente com outros secretários municipais. Fulgêncio avisou também que a Prefeitura não vai permitir aglomerações em bares e restaurantes na orla marítima nem autorizar a montagem de barracas nas praias da cidade para que as pessoas comemorem o réveillon.

Uma medida extrema para tentar evitar a propagação do novo coronavírus e o aumento de casos da doença e, consequente superlotação dos leitos de UTI nos hospitais públicos de João Pessoa.

Na oportunidade, Adalberto Fulgêncio lembrou que a Prefeitura já tinha cancelado apresentações musicais e show pirotécnico durante a virada do ano, como sempre ocorrida, para evitar aglomerações e o contágio do vírus. “Nessa caso, não tem sentido nenhum colocar barracas na praia, não será permitido”, reafirmou o gestor acrescentando que está proibido também a realização de shows pirotécnicos em locais privados, como bares e restaurantes, pois iria atrair muita gente e provocar aglomerações.

A medida é mais radical. A faixa de areia, na virada do ano, não será liberada para a população nem para os quiosques e barracas na praia. Esses estabelecimentos comerciais só poderão utilizar sua parte interna.

O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, e o secretário executivo de Gestão de Unidades da Rede de Saúde da Paraíba, Daniel Beltrammi, também participaram da coletiva. 

”Não podemos impedir que as pessoas saiam de casa, mas esperamos que as pessoas mudem esse comportamento”, ressaltou Adalberto. Os secretários que estavam na coletiva foram unanimes em pedir para que a população evite e até denuncie aglomerações. ”Convoco o cidadão paraibano para ser um fiscal da saúde”, enfatizou Geraldo Medeiros.

Paraíba.com 

Lucena Informa