Vacinação é suspensa em hospital de JP após denúncias de fraude; Saúde investiga

 

O secretário de Saúde do Município, Fábio Rocha, suspendeu nesta sexta-feira (22) a vacinação contra a Covid-19 no Hospital Nossa Senhora das Neves, em João Pessoa, após denúncias de “fura-filas” na unidade de saúde. As denúncias surgiram após a publicação nas redes sociais de fotos de pessoas da área administrativa recebendo o imunizante.

Em entrevista ao Portal Paraíba.com.br o enfermeiro e chefe da Seção de Imunização da Prefeitura Municipal de João Pessoa, explicou que as denúncias estão sendo apuradas e que por isso a vacinação foi suspensa. Ele explicou que ainda há muita confusão entre quem está no grupo prioritário e quem não está.

“É preciso saber que existe o trabalhador de Saúde e o profissionald e saúde. Todos aqueles que desempenham atividade dentro do serviço de saúde, da copa à recepção, que estejam dentro dos hospitais, a orientação é vacinar. Se estão trabalhando dentro dos hospitais de referência, então estão previstos no plano de vacinação”, disse.

Virgolino explicou ainda que em hospitais que não são referência para Covid-19, há possibilidade de contaminação, nos referenciais essa é uma certeza e os trabalhadores têm direito.

“Ocorreram denúncias e rumores e por isso a secretaria preferiu suspender a vacinação até que seja avaliado. Se a vacinação não estiver ocorrendo da forma que foi orientada então o hospital vai ser responsabilizado, pois os critérios foram definidos em reunião e estão registrados em ata”, explicou.

Cantor vacinado

O chefe de imunizações informou que as denúncias de que um cantor teria sido vacinado na unidade também serão apuradas, pois é preciso ficar atento para o fato de que algumas pessoas desempenham mais de uma função. “Isso será apurado, já houve uma situação em que o professor também foi acusado de passar à frente, mas na verdade ele era também técnico de enfermagem. Outro caso foi o de uma trabalhadora de saúde na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cruz das Armas que nas horas vagas é cabeleireira. É preciso tomar cuidado”, ressaltou.

PARAÍBA.COM

BORGES NETO LUCENA INFORMA