Venezuela expressa “preocupação” com violência em atos pró-Trump nos EUA

 

O governo venezuelano de Nicolás Maduro emitiu uma nota expressando preocupação com a violência em atos pró-Trump, que culminaram com a invasão do Capitólio, em Washington (EUA), na tarde dessa quarta-feira (6), durante sessão para reconhecer o resultado das eleições estadunidenses. O comunicado foi divulgado por Jorge Arreaza, ministro das Relações Exteriores da Venezuela.

“O governo da República Bolivariana da Venezuela expressa sua preocupação pelos atos de violência que estão ocorrendo na cidade de Washington, EUA.

Venezuala condena a polarização política e a espiral de violência que não faz, senão, refletir a profunda crise pela qual atualmente atravessa o sistema político e social dos Estados Unidos.

Com este lamentável episódio, os Estados Unidos padecem do mesmo que tem gerado em outros países com sua política de agressão. Venezuela aspira que, em breve, cesse a violência e o povo estadunidense possa finalmente abrir um novo caminho em direção à estabilidade e justiça social”, disse (tradução livre).

Venezuela e os EUA cortaram os laços diplomáticos no ano passado depois que o governo Trump, assim como dezenas de outros países, reconheceu o líder opositor Juan Guaidó, autoproclamado presidente, como o líder legítimo do país sul-americano, argumentando que Maduro fraudou sua reeleição de 2018.

Maduro classifica Guaidó como uma marionete dos EUA que tenta derrubá-lo para controlar os vastos recursos petrolíferos do país membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

Manifestantes que apoiam Trump tentaram invadir o Congresso americano, que deve certificar hoje a vitória do presidente eleito Joe Biden. As portas do Congresso chegaram a ser trancadas e um alerta de emergência acionado.

A polícia jogou spray de pimenta em alguns manifestantes no objetivo de impedir a tentativa de invasão ao Congresso. Houve confronto que resultou em quatro mortes.

Segundo informações da rede de TV americana FOX News, a polícia também encontrou vários pacotes suspeitos em volta do Cannon House Office e da Madison Library of Congress Building, e agiu para esvaziar os prédios e escritórios vizinhos.

PARAÍBA.COM

BORGES NETO LUCENA INFORMA