“O decreto deve ser cumprido e quem achar que não, o caminho é a Justiça”, diz Cícero sobre fechamento de igrejas

 

“O decreto deve ser cumprindo. Obviamente quem achar que não, o caminho é a Justiça”. Foi com essa frase que o prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena, em entrevista ao programa Arapuan Verdade, nesta sexta-feira (26), rebateu as críticas que vem sofrendo sobre o decreto municipal que estabelece medidas para prevenção e combate ao novo coronavírus, como o toque de recolher e fechamento de igrejas.

Questionado sobre as críticas, sobretudo de setores e movimentos religiosos que tiveram seus templos fechados, o gestor apontou o aumento constante de casos da doença como principal razão para adotar as medidas. Ele citou ainda que tem feito a sua parte, como a abertura de novos leitos de enfermaria e UTI em parceria com o Governo do Estado.

“O que tenho feito é dialogar com todos os setores que me procuraram e tendo mostrado a gravidade do momento em que estamos vivendo. Temos um índice que está subindo por mais que se haja um esforço de todos”, disse.

“Começamos a semana com 20 leitos de UTI’s no Santa Isabel, já estamos chegando a 55 UTI’s, mas mesmo assim estamos avançando com as ocupações. O Governo do Estado abriu mais 10 leitos no Trauma e 5 no Metropolitano, e só tem aumentado”, concluiu o prefeito de João Pessoa Cícero Lucena.

PARAÍBA.COM

BORGES NETO LUCENA INFORMA