Ministro paraibano pede racionamento de oxigênio e diz que EUA podem antecipar vacinas ao Brasil

 

O ministro da Saúde, médico paraibano Marcelo Queiroga, durante debate com a Comissão Temporária da Covid-19 no Senado Federal, nessa segunda-feira (29), afirmou que é necessário realizar uma racionalização do uso de oxigênio para não haver desabastecimento. Ele apontou que a estrutura de saúde no Brasil não foi preparada para comportar uma pandemia e que o ‘uso inteligente’ do insumo por parte dos profissionais da área pode trazer um alívio.

“Nós estamos trabalhando na área técnica, eu convidei o professor Carlos Carvalho, da USP, para trabalhar conosco nas áreas essenciais que, entre outras coisas, racionalizem o uso de oxigênio. Todos sabem que as pessoas chegam aos hospitais e a primeira coisa é colocar o oxigênio muitas vezes em quem não precisa, vamos tentar economizar, vamos fazer uma grande campanha entre os profissionais de saúde, para o uso racional do oxigênio”, afirmou Queiroga.

Durante a reunião em que foi debatido o Plano Nacional de Imunização, ele afirmou ainda que o Ministério da Saúde vai cumprir com todos os prazos previstos para vacinação da população, reafirmou a meta de 1 milhão de vacinas por dia e que há a possibilidade de fazer uma permuta com os Estados Unidos para antecipar mais doses de imunizantes ao Brasil.

“Fiz uma ligação para o embaixador Nestor Forster, embaixador do Brasil nos Estados Unidos, e há uma possibilidade de fazermos permuta com os EUA, para ter uma antecipação de doses”, afirmou Queiroga sem dá maiores detalhes de como funcionará esse processo.

PARAÍBA.COM


BORGES NETO LUCENA INFORMA