Justiça decreta sigilo do caso do assassinato da jovem Patrícia Roberta

 

A justiça decidiu decretar o sigilo do Caso Patrícia Roberta, que culminou no assassinato da jovem pernambucana na Paraíba. A decisão foi da juíza Virgínia de Lima Fernandes, responsável por conduzir a audiência de custódia do suspeito Jonathan Henrique Conceição dos Santos na tarde de ontem, quarta-feira (28).

Jonathan Henrique é acusado do assassinato da jovem Patrícia Roberta, de quem seria amiga de infância que veio de Caruaru, em Pernambuco, para João Pessoa para visitá-lo.

Segundo a delegada Emília Ferraz, o suspeito deve responder por feminicídio e ocultação de cadáver.

Ainda são se sabe se o sigilo foi um pedido da defesa ou simplesmente um cuidado para não atrapalhar as investigações. Jonathan Henrique cumpre isolamento de 14 dias na carceragem da Central de Polícia para depois ser transferido para o presídio do Roger. A medida é necessária por causa da pandemia de covid-19.

 

PB AGORA



FALA PARAÍBA-BORGES NETO