''Este é um dia histórico'', diz investigadora italiana após prisão de homem foragido do país, em João Pessoa

 


A Polícia Federal prendeu nessa segunda-feira (24), em João Pessoa, o segundo homem mais procurado da Itália, Rocco Morabito. Suspeito de integrar a máfia Ndrangheta, a Itália busca a extradição dele há quase 30 anos. ''Este é um dia histórico'', disse a investigadora italiana que participou da operação, durante coletiva de imprensa concedida nesta terça-feira (25), na sede da Polícia Federal, em Brasília.

Rocco Morabito foi encontrado em um hotel no bairro de Tambaú, em João Pessoa. Junto com ele também estava outro foragido da Itália, Vincenzo Pasquino, suspeito de integrar a mesma organização criminosa, e que também está entre os 30 homens mais procurados daquele país. Ele também foi preso.

Por questões de segurança, a Polícia Federal não revela onde os criminosos estão custodiados, mas informou que eles permanecerão detidos até que o processo de extradição deles seja concluído.

Uma terceira pessoa, também estrangeira, foi encontrada junto com eles, mas até o momento não há indicativo que ela possua pendências com a polícia.

De acordo com a Polícia Federal, desde 2019 se investigava a possibilidade de Rocco Morabito estar escondido no Brasil. Naquele ano, ele tinha conseguido fugir da cadeia no Uruguai. Há indicativos de que ele tenha passado por São Paulo, pelo Rio de Janeiro e talvez por Santa Catarina, mas apenas recentemente, a PF conseguiu localizá-lo com certeza em João Pessoa.

A PF deve investigar quais eram as atividades dele no Brasil, pois há fortes indícios de que a organização criminosa, da qual ele faria parte na Itália, tem conexões com outras organizações criminosas ao redor do mundo, inclusive no Brasil. Não se sabe ainda em quais crimes ele poderia estar envolvido.

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO