Secretário alerta para necessidade de vacinação de grupos com comorbidade


 Apesar da flexibilização da vacinação para trabalhadores da educação, o secretário  executivo de Saúde da Paraíba, Daniel Beltrammi, voltou a alertar, durante entrevista nesta sexta-feira (28), para a necessidade de imunização dos grupos com comorbidade, com o máximo empenho, para que não sejam contaminadas pela doença – a covid-19.

Segundo ele, esse grupo é o mais suscetível a adoecer de forma moderada e grave, com risco a óbitos por conta da probabilidade de infecção.


De acordo com Beltrammi, ma Paraíba, o governo do estado recomendará a máxima atenção às orientações do Plano Nacional de Imunização (PNI) com novas normas e orientações que devem ser emitidas nos próximos dias para nortear os 223 municípios do estado.“É necessário deixar o alerta que o grupo com comorbidade precisa ser vacinado com o máximo empenho, uma vez que reúne maior probabilidade de adoecer de forma moderada e grave e também maior probabilidade de óbitos em função do risco de infecção para Covid-19.”, ressaltou.

Sobre a mudança na lista de grupos proprietários em algumas cidades, o secretário destacou a autonomia dos entes que registrarem baixa procura e sobras vacianais, mas sem esquecer do compromisso prioritário.

“Em decisão da comissão Inter gestores tripartite, que reúne Ministério da Saúde, estados e municípios da federação, toma-se uma decisão muito em função de algum dos mais de 5500 municípios do país encontrarem uma baixa procura e sobras vacinais, toma-se a decisão de permitir que, para além do compromisso de vacinação do grupo de comorbidade, cuja cobertura  média (porcentagem de pessoas alcançadas é de 48% em todo país), para além desses compromissos que não estão sendo abandonados, os municípios poderão sim lançar mão do uso das vacinas em ordem decrescente de idade, partindo dos 59 anos”, emendou.

 

PB Agora



FALA PARAÍBA-BORGES NETO