Campina Grande concorre a título de Cidade Criativa da Unesco na categoria Mídia

 

Campina Grande será uma das representantes brasileiras ao título de Cidade Criativa da Unesco. O município concorrerá na categoria Mídia e poderá se tornar a única cidade brasileira com o título nesta categoria. A eleição, realizada pelo comitê brasileiro, chancela a inscrição da cidade paraibana a uma vaga na Rede de Cidades Criativas da Unesco. O resultado será conhecido em outubro.

Na carta enviada à Unesco, o prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima ressalta, entre outras características, o fato de o Município possuir o único Curso de Bacharelado em Arte e Mídia do território nacional, criado em 1999 pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

“O título de Cidade Criativa elevará na população o sentimento de pertencimento a esta terra. O efeito mensurável dessa designação será a atração e manutenção na cidade de capital humano e financeiro de qualidade através de novas empresas, novos produtos e serviços criativos”, destaca Bruno.

Já a cidade do Recife, capital de Pernambuco, concorrerá na categoria Música e, caso seja confirmada a indicação, se reunirá a Salvador, que já possui o título.

A Rede de Cidades Criativas da Unesco tem por objetivo favorecer a cooperação entre cidades que consideram a criatividade como um fator estratégico para o desenvolvimento sustentável em seus aspectos econômicos, sociais, culturais e ambientais. As cidades, que aderem à rede, se comprometem a compartilhar boas práticas e a desenvolver parcerias para promover as indústrias da cultura e da criatividade no âmbito de seus planos de desenvolvimento urbano.

“O título de cidade criativa é um importante diferencial competitivo para os destinos que garantem esse reconhecimento. Estamos muito felizes de termos dois candidatos tão fortes nessa competição que dará ainda mais visibilidade no cenário internacional a essas duas cidades brasileiras. Por tudo que representa para nosso país, Campina Grande merece esse reconhecimento. Espero que possamos, em breve, comemorar mais essa conquista para o turismo brasileiro”, disse o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto.

Atualmente, dez cidades brasileiras fazem parte da Rede Mundial de Cidades Criativas da Unesco, que, desde 2004, reconhece mundialmente esforços de cidades para colocar a economia criativa, por meio de projetos turísticos e culturais, no centro de planos de desenvolvimento urbano. Essas cidades são: Belém (PA), Florianópolis (SC), Paraty (RJ) e Belo Horizonte (MG), no campo da gastronomia; Brasília (DF), Curitiba (PR) e Fortaleza (CE), em design; João Pessoa (PB), em artesanato e artes populares; Salvador (BA), na música; e Santos (SP), no cinema.
 
 Inscrições 

Os municípios interessados em pleitear o título em uma das sete categorias disponíveis - arte e artesanato; design; cinema; gastronomia; literatura; artes - comunicação e mídia; e música - se inscreveram primeiramente em uma pré-seleção para endosso da Comissão Nacional (da qual o Ministério do Turismo fez parte) responsável pelo envio dos candidatos à sede do organismo internacional, em Paris, após aprovação do Itamaraty. Todas as candidaturas aprovadas pelo governo brasileiro devem estar acompanhadas de carta oficial do prefeito da cidade.

A Unesco estabeleceu limitação de apenas duas candidaturas por país, concorrentes em duas especialidades distintas. Para serem admitidas à rede, as candidatas deverão submeter-se a processo de avaliação por parte de peritos dos setores de cultura e indústria criativa, no âmbito da Unesco, com ênfase na área de especialização escolhida. As cidades candidatas deverão reconhecer a importância do desenvolvimento urbano sustentável e inclusivo e comprometer-se a promover o papel da cultura e da criatividade na implementação da Agenda 2030.

O organismo internacional aplica critérios de equilíbrio regional e temático na seleção das cidades, de modo a privilegiar áreas geográficas e especialidades criativas com menor representação na rede. No próximo ciclo de candidaturas, as áreas geográficas consideradas prioritárias serão a África e os países árabes, enquanto as especialidades criativas menos representadas são o cinema e as artes - comunicação e mídia.

 Ação de Parcerias 

A candidatura é uma ação da Prefeitura de Campina Grande, por meio das Secretarias Municipais de Desenvolvimento Econômico, Educação, Cultura e de Ciência e Tecnologia, em parceria com o Sebrae, Fundação Parque Tecnológico, Fiep, Unifacisa, Associação Comercial, CDL, Fecomércio, UEPB e UFCG.

CLICKPB


FALA PARAÍBA-BORGES NETO