‘Ele nunca procurou a direção estadual’, diz Jackson Macêdo sobre filiação de Ricardo ao PT

 

“Ricardo nunca procurou a direção estadual para discutir filiação”. A declaração é do presidente estadual da legenda, Jackson Macêdo, durante entrevista ao programa Rede Verdade, da TV Arapuan nesta sexta-feira (25). O petista afirmou que todas as conversas do ex-governador da Paraíba aconteceram apenas no âmbito nacional. Ele apontou que para essa possibilidade acontecer, precisa existir uma vontade pública do próprio Ricardo e uma convergência entre as instâncias partidárias, mas quem deve bater o martelo é o ex-presidente Lula (PT).

“O ex-governador Ricardo nunca procurou a direção estadual para discutir filiação. Ele nunca discutiu comigo essa vontade e pelo que sei ele não tem conversa com a direção nacional nesse sentido. Ele recentemente teve uma reunião com a presidente Gleice discutindo a conjuntura da Paraíba, mas não colocou concretamente a vontade de se filiar. Eu tenho dito que se ele colocar de forma pública essa vontade, procurar a direção estadual, nós vamos reunir as instâncias e tomar a decisão. Agora repito e digo isso a muito tempo, a filiação de uma magnitude do ex-governador Ricardo ela passa pela estadual, mas deve se acontecer uma vontade da direção nacional e do presidente Lula, como foi a de Jean Wyllys, que passou pela vontade dele”, afirmou Jackson Macêdo.

Confira outros trechos da entrevista concedida ao jornalista Luís Tôrres:

Lula na Paraíba
Ele faz uma primeira etapa de visitas no Piauí, Bahia e Ceará nesse primeiro momento e logo após Paraíba, Pernambuco. Acho que no máximo final de julho, início de agosto, teremos ele por aqui

Aliança com Cartaxo e espaço ao lado de Lula
Eu acho que sim, ele tem tido uma postura política interessante. É uma liderança política que tem muita força aqui em João Pessoa e eu acho que merece uma conversa com ele, com a direção estadual. Eu mesmo já conversei com ele nesses últimos dias e ele vai disputar a eleição no próximo ano, mas não sabe ainda para onde vai e respeitamos essa posição dele. O fato dele não estar naquela reunião da oposição, por exemplo, para nós já foi muito importante.

Ricardo e apoio ao Senado
Nós não nos sentimentos obrigados a isso, mas podemos construir sim um projeto político porque temos muita convergência política. Agora obrigação de apoiá-lo, não existe isso. No ano passado a direção nacional decidiu dá o apoio a ele e nós seguimos a orientação. Isso gerou racha e uma parte do partido não seguiu a orientação nacional e eu como presidente do partido não poderia ir contra ao entendimento nacional de Lula e Gleice.

Última reunião do partido
Foi decidido até outubro fecharmos a chapa para deputado estadual e federal, já temos alguns candidatos, aproxidamente 15 a estadual, 7 a federal e a partir de outubro, com esse quadro montado, estaremos sentando com as lideranças municipais e a nacional e vamos definir. Todo movimento que eu fizer, seja para conversar com o ex-governador Ricardo, com o ex-prefeito Cartaxo, ou qualquer outra liderança será comunicado a nacional e ela que vai acompanhar os movimentos. Não podemos deixar mais acontecer o que aconteceu na eleição passada, decidir tudo em um dia de convenção. Vamos buscar unidade.

Jeová Campos, Cida Ramos e Estela Bezerra
Ainda não abrimos discussão sobre isso, existe muitas vontades, mas oficialmente eu só vou me posicionar quando aqueles que querem voltar ao PT colocarem o interesse público de voltar. Enquanto for a vontade guardada pra dentro de si é melhor aguardar e ai lá na frente a gente discute novamente caso isso de fato aconteça.

Assista a integra do programa:


Redação/Portal Paraíba


BORGES NETO LUCENA INFORMA