EUA divulgam plano para distribuir mais 55 milhões de vacinas contra Covid


 A Casa Branca apresentou nesta segunda-feira (21) o plano para compartilhar mais 55 milhões de vacinas contra a Covid-19 em todo o mundo. América Latina e Caribe vão receber 14 milhões de doses — inclusive o Brasil.

Cerca de 75% das doses serão distribuídas via Covax Facility, programa de compartilhamento de vacinas contra a Covid-19 coordenado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e destinado a países pobres. Os outros 25% irão para "prioridades regionais".

As doses fazem parte da promessa do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, de doar 80 milhões de vacinas produzidas no país (60 milhões de doses da AstraZeneca e mais 20 milhões da Pfizer/BioNTech, da Moderna e da Johnson & Johnson).

A distribuição das primeiras 25 milhões de doses foi divulgada no início do mês — e também incluía o Brasil. 

Dessa primeira remessa, seis milhões de doses eram para América Latina e Caribe.

Todas elas serão distribuídas até o fim deste mês, segundo o comunicado da Casa Branca. Ainda não se sabe quantas doses serão enviadas ao Brasil.

Vacinação nos EUA

Os Estados Unidos têm uma das vacinações contra a Covid-19 mais avançadas do mundo. Mais de 52% dos americanos já tomaram ao menos uma dose e 44% já estão completamente imunizados, números muito superiores ao do Brasil, por exemplo (29% e 11%).

Os EUA já aplicaram 95 doses a cada 100 habitantes, segundo o "Our World in Data", projeto ligado à Universidade de Oxford. À frente estão apenas nações como Israel (122) e Reino Unido (109).

Nesses países, o número de casos e mortes despencaram nos últimos meses, com o avanço da imunização, e a maioria das restrições para frear o contágio do coronavírus já foram retiradas (como o uso de máscaras ao ar livre.

Já o Brasil aplicou 86 milhões de doses até o momento, o equivalente a 40 vacinas a cada 100 habitantes — o que nos coloca em um patamar similar ao de Tuvalu, Guiana e Argentina e um pouco acima da média mundial (34).

Autoridades de saúde dos EUA autorizaram pessoas vacinadas a circular sem máscara — Foto: Brendan McDermid/Reuters

Distribuição das 55 milhões de doses

Segundo o planejamento divulgado nesta segunda, cerca de 41 milhões das 55 milhões de doses serão compartilhadas via Covax Facility. A América Latina e o Caribe vão receber cerca de 14 milhões; a Ásia, cerca de 16 milhões; e a África, cerca de 10 milhões.

Segundo a Casa Branca, entre os países latino-americanos que receberão as doses estão: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana e Uruguai.

Os outros 25% (cerca de 14 milhões de doses) serão destinados a países e territórios classificados "prioridades regionais" pela Casa Branca. Entre eles estão Argentina, Colômbia, Cisjordânia, Gaza, Iraque e Ucrânia.

Mais meio bilhão de vacinas

Além de distribuição dessas 80 milhões de doses, que já foram produzidas, os EUA anunciaram no dia 10 que vão comprar e doar mais 500 milhões de vacinas da Pfizer.

Elas serão distribuídas a 92 países pobres, também pela Covax. Nações como Afeganistão, Angola e Síria receberão as doses até 2022.

O Brasil integra consórcio, mas não será beneficiado por essas doses por ser considerado capaz de comprar as próprias vacinas.

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO