Suspeito de chamar bombeiro civil de “macaco” paga fiança de R$ 3 mil e é solto em João Pessoa

 

O homem suspeito de chamar o bombeiro civil, Adiel Fernandes dos Santos, de “macaco” e “negrinho”, em um shopping, no bairro de Manaíra, em João Pessoa, na última terça-feira (08), pagou uma fiança de R$ 3 mil e foi solto. No entanto, irá responder criminalmente e pode ser condenado pelo crime de injúria racial. 

O delegado Marcelo Falcone, da Delegacia Especializada de Crimes Homofóbicos, Raciais e de Intolerância Religiosa (DECHRADI), explicou que por se tratar de injúria racial o crime é fiançável. No entanto, o pagamento da fiança não o torna isento e por conta disso, vai responder criminalmente pelo caso. "Injúria racial é quando ofende diretamente , atinge a honra subjetiva de uma pessoa", frisou.

O ClickPB apurou que, o caso aconteceu quando o bombeiro civil, que trabalha em um shopping, tentava ajudar um homem que estava caído em um banheiro do estabelecimento. O autor das ofensas, que se apresentou como auditor fiscal, foi conduzido à delegacia. No relato, o bombeiro contou que foi chamado por funcionários de um restaurante para ajudar um cliente que estava caído no banheiro. 

Ao chegar no local, encontrou o homem visivelmente embriagado, que agiu de forma bastante agressiva, inclusive tentando atacá-lo. O bombeiro tentou retirá-lo do local para que evitasse que o cliente se machucasse com os vidros. E nesse momento começaram os xingamentos. O supervisor do shopping apareceu para ajudar e o homem foi contido, sendo que a polícia foi chamada em seguida e o conduziu à Central de Flagrantes.

CLICKPB


BORGES NETO LUCENA INFORMA