Palanque aberto? Nilvan e Cabo Gilberto radicalizam discurso e rejeitam tese de compor com esquerda na majoritária

 


As falas do ex-prefeito de Campina Grande e principal nome da oposição para disputar o Governo do Estado nas eleições do ano que vem, Romero Rodrigues (PSD), admitindo aceitar o apoio de legendas de esquerda, não foi bem vista por outras lideranças mais alinhadas com o bolsonarismo na Paraíba.

O presidente do PTB da Paraíba, o comunicador Nilvan Ferreira, por exemplo, disse que a prioridade dele é a reeleição do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e, portanto, descarta completamente dividir palanque com algum partido de esquerda.

“Respeito a posição de quem quer que seja sobre o pleito, mas nós temos uma posição bastante definida. Nós não temos como subir em palanque onde esteja a esquerda, onde esteja o PT, o PCdoB, o PSB e outros partidos que compõem a bandalheira que governou o Brasil e que governa a Paraíba através de João Azevêdo. O PTB tem uma posição clara, definida e nós já tivemos a oportunidade colocar isso, inclusive, para o próprio Romero. A questão prioritária, para a gente, é a reeleição de Bolsonaro”, disse.

Outro que criticou a fala de Romero foi o líder da oposição Cabo Gilberto (PSL), que até disse ter entendido o posicionamento de Romero, mas fez coro a Nilvan em rejeitar completamente uma composição majoritária com qualquer partido de esquerda.

“As declarações do ex-prefeito de Campina Grande, eu entendi perfeitamente, mas não foram bem aceitas. Nem por mim, nem por demais agentes políticos com relação a aceitar esquerda no palanque. Eu não aceito. Dialogar politicamente, eu dialogo com qualquer partido. Agora compor chapa, não tem como eu aceitar PSOL, PCdoB e PT numa chapa majoritária. Eu estaria sendo incoerente”, explicou.

As falas das lideranças foram registradas durante entrevista ao programa ‘Arapuan Verdade’, nesta terça-feira (20).

PB Agora


BORGES NETO LUCENA INFORMA