Presidente do PSOL da PB prega cautela após prisão de suposto mandante da morte de Marielle e fala em “ingerências”

 

O presidente do PSOL da Paraíba, Tárcio Teixeira, pregou cautela após a prisão, em Queimadas, do apontado como mandante do assassinato da vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco.

Tárcio lembrou que as promotoras do caso foram trocadas recentemente, após pediram a saída das investigações alegando interferência.

“Como recebo a notícia da prisão, em terras paraibanas, de suspeito de envolvimento na execução da Marielle e do Anderson? Com muita cautela. Precisamos ficar atentas/os, e nacionalmente estamos acompanhando, as investigações sobre a execução política da companheira Marielle Franco, mas sem precipitação. Lembremos que vivemos recentemente a substituição das Promotoras que estavam acompanhando o caso e muitas outras distrações e ingerência já ocorreram”, afirmou.

Tárcio trata o assunto como se ainda não tivesse sido resolvido.

“Nossa solidariedade a cada familiar, amiga/o e companheira/o que luta a luta da Marielle, que sofrem a cada notícia, a cada dia sem justiça”, finalizou.

PB Agora



BORGES NETO LUCENA INFORMA