‘Estamos ressuscitando um cadáver’, diz Fábio Rocha ao apontar abandono na saúde de João Pessoa

 

O secretário municipal de Saúde, Fábio Rocha, durante entrevista ao programa Rede Verdade, do Sistema Arapuan de Comunicação nesta quarta-feira (11), fez duras criticas as politicas públicas adotadas pela gestão do ex-prefeito Luciano Cartaxo no enfrentamento a pandemia da Covid-19. Ele classificou como ‘deteriorável’ o estado das unidades básicas de atendimento.

“Nós estamos ressuscitando um cadáver [saúde pública]. Quando eu cheguei aqui encontrei uma situação deteriorável, onde deve se guardar as circunstâncias, algumas até compreensíveis, outras não. Você ter em uma cidade como João Pessoa apenas 36 leitos de UTI é uma vergonha para qualquer gestor. Não é difícil imaginar a operação que tivemos que montar em fevereiro e março e criar 136 novos leitos de UTI dentro de João Pessoa, esse que suportaram toda essa demanda, a pressão, o pico desesperador de abril e maio da pandemia”, afirmou Fábio Rocha.

O secretário pontuou ainda que não foram apenas as políticas públicas de saúde contra à Covid-19 que foram, segundo ele, esquecidas em João Pessoa. “Tem também o outro lado da saúde que estava um caos e permanece de uma forma que ainda estamos tentando fazer as correções necessárias, porque tiveram coisas que deveriam ser feitas e a outra gestão não fez, por exemplo; médicos que foram afastados dos PSF baseados na versão que tenho 60 anos e acabou-se. Não é assim. Ai você não tem esse produto médico para estar disponível a toda hora como precisa. A gente já abriu vários tipos de contratação, mas ainda há uma necessidade de a gente reestabelecer as UBS, as nossas UPAS onde estamos conseguindo desencaixotar produtos adquiridos a quatro anos atrás e montar essa estrutura. É possível fazer uma boa saúde com os recursos que a gente tem, agora é preciso coragem para fazer”, afirmou o secretário.

Confira a íntegra da entrevista concedida ao jornalista Luís Tôrres: