Goleiro paraibano: Santos pega pênalti e Brasil e vai para a final da Olimpíada em Tóquio

 

A decisão das semifinais do futebol masculino foi para o pênaltis, após um 0 a 0 no tempo normal e prorrogação, mas quem brilhou nos pênaltis foi o paraibano Santos. Após pegar a primeira cobrança, o time ganhou moral e o México desperdiçou a segunda chance mandando a bola na trave.

O Brasil não desperdiçou nenhuma das chances e fechou em 4 a 1 as penalidades. Foi um jogo bastante nervoso, com muitas faltas e poucas chances de gol. A melhor oportunidade foi do Brasil, no segundo tempo do tempo regulamentar, quando Richarlison cabeceou uma bola na trave.

Capitães Ochoa e Daniel Alves tiram cara ou coroa para definir em que lado serão batidos os pênaltis e qual seleção abriria as cobranças. O próprio Daniel Alves bateu a primeira cobrança que Ochoa chegou a tocar na bola, mas era o dia de Santos. Confiante, o goleiro paraibano segurou a penalidade cobrada por Eduardo Aguirre. O Brasil converteu mais um e Vasquez mandou no poste. Mais um gol do Brasil e Carlos Rodríguez adiou a decisão por mais um instante convertendo o único pênalti da equipe mexicana. Coube a Reinier marcar e colocar o Brasil na final.

Nas penalidades máximas, marcaram Daniel Alves, Martinelli, Bruno Guimarães e Reinier. Os mexicanos Eduardo Aguirre – em defesa de Santos – e Vazquez – trave – desperdiçaram. Rodriguez marcou.

A seleção vai encarar Espanha ou Japão na final. As seleções se enfrentam, a partir das 8h.

Os mexicanos vão tentar a segunda medalha olímpica no futebol masculino na disputa do bronze, marcada para sexta-feira, às 8h, contra o derrotado no duelo de logo mais entre japoneses e espanhóis.

O outro paraibano, Matheus Cunha, não entrou em campo ainda machucado e Paulinho entrou na vaga, o que modificou um pouco o estilo de jogo.