Em primeiro discurso neste dia 7 de setembro, Bolsonaro diz que ‘uma ou duas pessoas’ precisam entrar ‘nos eixos’

 

Durante o seu primeiro discurso nos atos de 7 de setembro, Jair Bolsonaro se autointitulou “porta-voz do povo brasileiro” e afirmou que uma ou duas pessoas devem “entrar nos eixos”, caso contrário seriam “ignoradas da vida pública”. Apesar de não citar nomes, o presidente vem endereçando as suas críticas a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

A declaração foi feita no Palácio da Alvorada minutos antes de o presidente seguir para a cerimônia de hasteamento da bandeira.  A fala do presidente ocorre em meio à sua queda na popularidade, com alta da inflação, crise energética e com o país assolado pela pandemia da Covid-19 com mais de 580 mil brasileiros mortos.

— Nosso país não pode continuar refém de uma ou duas pessoas, não interessa onde elas estejam. Essas uma ou duas pessoas ou entram nos eixos ou serão simplesmente ignoradas da vida pública. Vou continuar jogando dentro das quatro linhas. Mas a partir de agora não admito que outras pessoas, uma ou duas, joguem fora das quatro linhas. (…) A regra do jogo é uma só, respeito à nossa Constituição — completou Bolsonaro, investigado em um inquérito em andamento no STF que apura a divulgação de notícias falsas.

Bolsonaro discursou no Palácio Alvorada por volta das 8h e disse que os atos de hoje, organizados por seus apoiadores, não são de nenhum político. O presidente participa de atos na Esplanada dos Ministérios em Brasília e depois viaja para São Paulo para participar da manifestação na Avenida Paulista.

— Hoje é o dia do povo brasileiro que vai nos dar um norte. Vai nos dizer para onde o Brasil deve ir. Eu apenas hoje quero ser o porta-voz de vocês. E dizer que o que falarmos a partir de agora estou falando em nome de vocês, povo brasileiro.

Antes da cerimônia oficial de 7 de Setembro, que teve a participação do vice-presidente, Hamilton Mourão, Bolsonaro recebeu no Palácio da Alvorada integrantes do governo e aliados para um café da manhã. Um cantor gospel fez uma apresentação antes de o presidente discursar aos convidados.

Estavam presentes os ministros Ciro Nogueira (Casa Civil), Braga Netto (Defesa), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Fabio Faria (Comunicações), Flávia Arruda (Secretaria de Governo), Anderson Torres (Justiça), Paulo Guedes (Economia), Onyx Lorenzoni (Trabalho), João Roma (Cidadania), Tereza Cristina (Agricultura) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos).

Também compareceram o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Jorge Oliveira, o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, e outros secretários.

Bolsonaro seguiu da parte interna do Palácio da Alvorada para o hastemento da bandeira no Rolls Royce, conduzido pelo ex-piloto de Fórmula 1, Nelson Piquet. Dezoito paraquedistas saltaram durante a cerimônia, e um deles entregou a bandeira ao presidente. Também houve a apresentação da Esquadralha da Fumaça.

Com O Globo /  Foto: Cristiano Mariz / Agência O Globo

DE OLHO NO CARIRI


BORGES NETO LUCENA INFORMA