Novo Centro de Equitação da PM vai ampliar as vagas da equoterapia para autistas

 


A equoterapia, que usa o cavalo nas atividades de desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com autismo e outros casos, terá o número de vagas ampliado com a construção do Centro de Equitação da Polícia Militar, no bairro do Cristo Redentor, em João Pessoa. A obra já foi autorizada pelo governador João Azevêdo e prevê um investimento de R$ 600 mil. A ampliação vinha sendo reivindicada pela população há mais de 12 anos.

Durante entrevista no Programa Prevenção Participativa, nessa segunda-feira (13), na rádio Tabajara, o governador João Azevêdo comentou sobre a importância da obra. “Essa é mais uma ação envolvendo a polícia com a comunidade e o novo Centro de Equitação vai permitir justamente isso. Lá realiza um trabalho extraordinário e quando o comandante Euller nos apresentou esse projeto de ampliação, autorizamos de imediato, para oferecer um serviço à comunidade que é muito importante, pois infelizmente vem crescendo o número de crianças diagnosticadas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e precisamos prestar essa assistência”, destacou.

A Equoterapia oferecida pela Polícia Militar, por meio do Regimento de Polícia Montada (RPMont), atende atualmente 40 pacientes com algum tipo de deficiência ou transtorno. As atividades, que usam o cavalo como “ferramenta”, são desenvolvidas por uma equipe multidisciplinar, composta por terapeutas ocupacionais, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, equitadores e seus auxiliares, que são policiais militares.

Com o projeto autorizado pelo Governador, será construído um picadeiro coberto para que as atividades com pacientes e animais não sejam prejudicadas em dias de chuva, além da possibilidade de ampliação do número de vagas para atender mais pessoas.

PB Agora



FALA PARAÍBA-BORGES NETO