'Vacine quem quiser, mas eu não vacinaria', diz Eliza Virgínia ao reafirmar desinformação sobre vacina em adolescentes durante discurso na Câmara

 

A vereadora Eliza Virgínia (PP) voltou a propagar desinformação sobre vacinação contra covid-19 a crianças e adolescentes. Em discurso no plenário da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) na manhã desta quinta-feira (23), a parlamentar reafirmou o caráter "experimental" das vacinas e que, por isso, "não vacinaria" um filho menor de idade, caso tivesse.

"Ontem, o Ministério da Saúde liberou novamente a vacinação para adolescentes de 12 a 17 anos. Vacine quem quiser vacinar seus filhos, mas eu não vacinaria, porque são experimentais, são poucas vacinas e é melhor guardar para faixa etária mais alta do que dar para crianças e adolescentes, que têm casos muito raros de complicação de covid", disse.

A polêmica teve início nesta quarta-feira (22) em vídeo divulgado no Instagram da vereadora, em que ela recomendava aos pais de crianças e adolescentes a não vacinarem seus filhos. "Se eu tivesse um filho menor de 18 anos, eu não vacinaria principalmente por conta que essa vacina é experimental, o custo-benefício é muito baixo. Quer botar seu filho em risco? Coloque", disse.

Ainda no vídeo, ela afirma que "existem vários jovens que após tomar a vacina não estão se sentindo bem". A jovem a que se refere, faleceu vítima de púrpura trombocitopênica trombótica, doença autoimune que predispõe a formação de coágulo e pode levar à morte. O Ministério da Saúde confirmou que a morte não tem associação com a vacina.

Veja os vídeos:



CLICKPB









FALA PARAÍBA-BORGES NETO