Lava do vulcão Cumbre Vieja forma delta 500 metros mar adentro Ilhas Canárias




 A lava do vulcão Cumbre Vieja está cada dia mais adentrando no Oceano Atlântico, e seu acúmulo formou um delta marinho que já alcançou mais de 500 metros mar adentro. Em geografia, um delta é formado pela acumulação de sedimentos de um rio no oceano, em formato triangular. No caso do delta marinho nas Ilhas Canárias, o sedimento é a própria lava vulcânica que desce do vulcão através de uma fissura na superfície do seu cone até a costa.

Essa fissura, criada pela lava, está com uma profundidade aproximada de 30 metros no mar. Segundo a Rádio Televisão Canaria, o delta formado já ocupa uma área de 36 hectares e avançou 540 metros da costa rumo ao oceano.

Um vídeo gravado por drone do ICMAN (Instituto de Ciências Marinas de Andalúcia) e publicado pelo CSIC (Conselho Superior de Investigações Científicas) da Espanha mostra o acúmulo de lava formando o delta, enquanto surgem nuvens de gases devido ao contato do material vulcânico com a água marinha.

A chefe da Vigilância Vulcânica do Instituto Geográfico Nacional da Espanha, Carmen López, explicou que a emissão gasosa ocorre devido ao contraste térmico entre a lava e o mar e que é composta de vapor de água e ácido clorídrico. 

De acordo com a especialista, tal emissão afeta apenas a zona de contato, embora ela tenha advertido que as populações próximas devem ser informadas sobre as mudanças do vento. 

Construções atingidas

Em outro ângulo, os bombeiros das Ilhas Canárias também registraram o delta de lava. Eles trabalham na verificação de telhados e residências afetadas. A lava do vulcão já afetou mais de 1.000 construções. 

Confira o vídeo abaixo:

Dióxido de enxofre 

O Involcan (Instituto Vulcanológico das Canárias) informou hoje que o vulcão de Cumbre Vieja já emitiu cerca de 250 mil toneladas de dióxido de enxofre (SO2) desde 19 de setembro, quando entrou em erupção. A estimativa é baseada na medição da emissão de SO2 em posição móvel terrestre, que na atualidade tem "importantes limitações devido a diversos fatores".

Apesar disso, o órgão diz que conhecer os níveis de dióxido de enxofre emitidos também permite estimar o volume de lava lançado pela erupção do Cumbre Vieja, que é de aproximadamente 35 milhões de metros cúbicos. O comitê científico que assessora o Plano de Emergências Vulcânicas das Canárias, calculava dias atrás que o volume de material emitido pelo vulcão, o que incluiria piroclastos, era de cerca de 80 milhões de metros cúbicos. Ou seja, o estrago até o momento pode ser menor do que o imaginado.

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO