Blocos de Olinda cancelam participação no carnaval de 2022

 


Ainda sem definição sobre o carnaval, blocos de rua de Olinda estão se adiantando e anunciam que não vão desfilar em 2022. Nesta segunda-feira (13/12), um dos blocos mais conhecidos da cidade pernambucana, o Eu Acho é Pouco, informou pelas redes sociais que, devido à pandemia, a decisão é por não participar da folia.

"Com a certeza de que é preciso estar atentos e fortes, em especial no que ainda estamos a atravessar nessa pandemia, o Grêmio Lítero Recreativo Cultural Misto Carnavalesco Eu Acho é Pouco comunica que não vai sair no Carnaval 2022", diz o comunicado.

O bloco tradicional, desde 1976, sai duas vezes durante a festividade. No "sábado de Zé Pereira" e na "Terça-feira Gorda".

Ainda no fim de novembro, o bloco olindense Homem da Meia-Noite, que completa 90 anos em 2022, disse que também não vai participar do desfile.

"Aguardamos por dias melhores, acompanhando o avanço da vacinação e a publicação de números oficiais da pandemia, assim como respostas e posicionamentos oficiais das autoridades. O momento exige equilíbrio, coerência e cuidado. Faltam três meses para o desfile. Na incerteza que o tempo traz, vamos seguir em frente, dentro do que for possível", afirmou o presidente da agremiação, Luiz Adolpho, durante coletiva.

No início deste mês, o representante do bloco Galo da Madrugada, Rodrigo Menezes, propôs que o carnaval fosse restrito a pessoas vacinadas contra a covid-19. A proposta foi feita durante a primeira reunião pública sobre o tema.

Pelo menos 70 cidades de Pernambuco já cancelaram o carnaval de 2022. Recife e Olinda, no entanto, ainda não tomaram uma decisão sobre a questão. Já o governo de Pernambuco disse que só vai bater o sobre o assunto em janeiro. 

Cinco capitais já anunciaram que não vão realizar a festa, são elas: Belém, Belo Horizonte, Campo Grande, Cuiabá e Fortaleza. Outras 13 estão analisando o cenário para tomar uma decisão, inclusive Brasília, que cancelou o réveillon, mas ainda não tomou uma decisão quanto ao carnaval. Pesquisa feita pela Quaest constatou que 90% da população brasileira apoia que a festa de momo não seja realizada em 2022.

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO