Bolsonaro ignora elo com centrão e diz que jantar de Lula serviu para lotear ministérios

 




O presidente Jair Bolsonaro (PL), que distribuiu cargos e ministérios a partidos do centrão em troca de base no Congresso, afirmou, nesta quinta-feira (23), que o jantar entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin teve no cardápio bancos oficiais loteados e ministérios prometidos.

Bolsonaro fez as declarações em sua live semanal, depois de passar alguns dias de folga no Guarujá (SP).

O presidente comentou o jantar ao falar sobre a construção de uma nova ponte no Paraguai com recursos da Itaipu Binacional.

"No passado não existia isso porque as estatais eram loteadas. Cada partido político, grupos de interesse, pegava uma estatal aqui, um banco oficial lá, um ministério acolá", afirmou.

A seguir, Bolsonaro comentou o que chamou de "jantar da democracia", realizado no domingo (19).

Ele perguntou ao presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, se ele participaria de um jantar no qual estivessem os senadores Renan Calheiros (MDB-AL), Omar Aziz (PSD-AM) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

"Esse trio estava lá, assim como outras pessoas conhecidíssimas da política nacional, algumas foram presas inclusive", ironizou. "E lógico aquela pessoa famosíssima no mundo todo, Lula, patrocinando e falando em jantar da democracia."

"Está na cara que o cardápio foi ministério fatiado, bancos oficiais, como Caixa, Banco do Brasil e BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) loteados, ministérios prometidos no cardápio."

Pesquisa Datafolha divulgada no dia 16 mostrou que o ex-presidente Lula teria 48% de votos no primeiro turno das eleições, contra 22% de Bolsonaro. No segundo turno, o petista tem 59%, contra 30% de Bolsonaro.

"A responsabilidade é tua [em referência aos eleitores]. Veja na América do Sul o que está acontecendo, veja quem está vibrando com certas eleições pelo mundo", criticou. "E você vai ter um diagnóstico. Nós seremos lá na frente produto das nossas escolhas. Quem escolheu mal, vai pagar mal."

Bolsonaro também lembrou que o próximo presidente poderá indicar dois nomes para o STF (Supremo Tribunal Federal). "Se você quiser que outra pessoa chegue lá [no Supremo] e indique ministros que tenham afinidade com essa outra pessoa, você decide."

"Você está votando para duas vagas para o STF", afirmou o presidente.
O encontro de Lula e Alckmin ocorre em meio a articulações para que o ex-tucano seja vice do petista na disputa para a Presidência nas eleições de 2022.

O esperado encontro entre os dois ocorreu durante um jantar promovido pelo grupo de advogados Prerrogativas, que contou com cerca de 500 convidados no restaurante A Figueira Rubaiyat, em São Paulo.

Entusiastas da chapa viram no evento um grande avanço para a formalização da união, que poderia já ser anunciada no início do ano que vem.

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO