Professor usa roupa semelhante à da Ku Klux Klan, grupo de supremacia branca, em escola estadual de São Paulo

 


Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um professor dentro de uma escola pública estadual com roupa semelhante à da Ku Klux Klan, grupo supremacista branco dos Estados Unidos.

O caso ocorreu na Escola Estadual Amaral Vagner, em Santo André, na região do ABC. Na gravação, dá para ouvir a voz de uma jovem que parece ser uma aluna, incrédula com a vestimenta do professor. Não há informações do motivo do professor ter usado a fantasia.

A data da gravação não foi informada pela secretaria, mas o vídeo foi postado na última segunda-feira (20). De acordo com o prefeito de Santo André, Paulo Serra, as imagens foram registradas no mês de outubro.

A Secretaria estadual da Educação diz que vai afastar o professor envolvido até o término da investigação. A pasta também informou que não admite qualquer forma de discriminação e injúria racial.

Criado em 1860, o Ku Klux Klan defende ideais como a supremacia branca, o nacionalismo branco e a anti-imigração. No século passado, o grupo foi responsável pela perseguição e assassinato de negros e ativistas de direitos civis, além de ataques terroristas.

Em nota, a Secretaria de Educação de São Paulo "informa que, assim que soube do caso, abriu apuração preliminar e iniciou os trâmites para afastamento imediato do professor envolvido, que é efetivo, até o término da apuração. A Diretoria de Ensino de Santo André formou uma comissão interacial para averiguar os fatos."

A gestão da unidade e a Diretoria de Ensino de Santo André estão à disposição de pais e/ou responsáveis para esclarecimentos.

CLICKPB



FALA PARAÍBABORGES NETO