​Escola em João Pessoa adia início das aulas após aumento de casos de Covid-19 e medida segue orientação de CNE


 Preocupada com o alto índice de contaminação por Covid-19 na Paraíba, principalmente em João Pessoa, a gestora executiva do Instituto Pessoense de Educação Integrada (Ipei), Antoniêta Nóbrega, informou que decidiu adiar, em uma semana, o início das aulas na unidade de ensino. Essa medida, considerada temporária, também foi baseada em uma nota de esclarecimento do Conselho Nacional de Educação (CNE), divulgada ontem (27), e que passa recomendações às instituições. 

Devido ao acirramento dos casos em todo o País, a nota do CNE orienta as instituições caso necessitem reorganizar as atividades escolares, acadêmicas ou de aprendizagem em face da possibilidade de suspensão temporária das atividades escolares ou acadêmicas. Para o Conselho, deve-se priorizar as aulas presenciais. “Eles dizem que é prioridade porque consideram os déficit de aprendizagem desde o ano de 2020”, afirmou. Antoniêta Nóbrega contou que conversou com as famílias antes de tomar a decisão. 

“O Conselho Nacional de Educação orienta todos os sistemas estadual, federal, municipal e particulares como devem proceder”, disse a gerente executiva do Ipei, em conversa com o ClickPB, que segundo ela, até então não havia nenhum tipo de orientação para as escolas e os sistemas de ensino.

A nota é assinada pela presidente do CNE, Maria Helena Guimarães e divulgada nesta quinta-feira (27). Segundo Antoniêta Nóbrega, a sua decisão foi tomada por conta do alto contágio de Covid-19 na Paraíba e também pela orientação do Conselho Nacional de Educação. No entanto, lembra que “a decisão, medida, é isolada porque o sindicato nem é de acordo que pare, nem é de acordo que a gente cobre a vacinação. Eu não fui atrás de sindicato, apesar de ser sindicalizada, não fui atrás de ninguém. Vi os documentos, conversei com a comunidade e tomamos a decisão”, ressaltou.

Medidas necessárias

“Realmente nós sempre cuidamos para todas as ações de emergência quando necessário a fim de promover saúde e segurança de toda a comunidade escolar. Diante as implicações recentes da pandemia, diante do acirramento do contágio, nós estamos o ano letivo 2022 em nossa escola”, revelou ao ClickPB.

Medida temporária

De acordo com Antoniêta Nóbrega, a medida é temporária. “A nota diz que é necessário adotar providencias, ainda que temporárias, que é o caso aqui do Ipei, e de curto prazo para garantir a segurança da comunidade escolar: estudantes, funcionários, professores e familiares e do conjunto da sociedade inclusiva. O nosso adiamento é de curto prazo”. As aulas iriam começar dia 31 de janeiro e adiou para 07 de fevereiro. “Caso saia algum decreto normatizando outra instrução, a gente vai seguir os decretos”, reforçou.

Cartão de vacinação

A gestora executiva informou que cobrará o cartão de vacinação. “A gente está solicitando as famílias para vir aqui para deixar os materiais: livros, também deixar o comprovante de vacinação porque nós vamos solicitar a todas as crianças que estão em idade de vacina que traga a comprovação porque estamos seguindo a orientação do Ministério Público Estadual, ministério Público Federal e Ministério Público do Trabalho”, afirmou.

Confira a nota do CNE

Nota da escola Ipei

CLICKPB


FALA PARAÍBA-BORGES NETO