Morte de Olavo de Carvalho repercute entre políticos


 A morte do escritor Olavo de Carvalho, aos 74 anos, repercutiu entre políticos e personalidades nesta terça-feira (25). O influenciador e filósofo autodidata morreu na segunda-feira (24), nos Estados Unidos. O comunicado da família não deixa claro o motivo da morte, porém, o escritor havia sido diagnosticado com Covid-19 no dia 16 de janeiro.

Um dos primeiros a se manifestar foi o presidente Jair Bolsonaro. Em mensagem compartilhada nas redes sociais, o chefe do Executivo disse que Olavo foi um "gigante na luta pela liberdade e um farol para milhões de brasileiros". "Seu exemplo e seus ensinamentos nos marcarão para sempre", disse o presidente.

Os filhos do presidente também usaram as redes sociais para lamentar a morte do filósofo. O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) publicou fotos com Olavo e pediu a Deus que “acolha o professor”. "Aqui na Terra seus livros, vídeos e ensinamentos permanecerão por muito tempo ainda”. 

O vereador Carlos Bolsonaro comentou que mesmo as críticas do filósofo foram construtivas. "Grande foi a sua influência em nossas vidas, não apenas em politica, mas também através de ensinamentos valorosos", escreveu. 

Também reagiram à morte do filósofo os ex-ministros Abraham Weintraub (Educação) e Ricardo Salles (Meio Ambiente); os ministros Onyx Lorenzoni (Trabalho), Tarcísio Freitas (Infraestrutura), Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos), Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), Gilson Machado (Turismo), e os deputados  federais Carlos Jordy (PSL-RJ) e Bia Kicis (PSL-DF).

CLICKPB



FALA PARÁIBA-BORGES NETO