Prefeitura e UFPB vão trabalhar juntas por mais eficiência na mobilidade de João Pessoa


 A Prefeitura Municipal, por meio da Unidade Executora do Programa João Pessoa Sustentável (UEP) e da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP), vai ampliar o convênio, firmado em outubro de 2021, com a Universidade Federal da Paraíba (UFPB). O foco agora é melhorar o trânsito da Capital, tornando-o mais rápido e seguro. O caminho passa pela tecnologia e pelo conhecimento. Toda a expertise de professores e da UFPB será investida em um projeto moderno e inteligente que trará economia de tempo nos deslocamentos e, consequentemente, mais qualidade de vida para a população. 

A primeira reunião de alinhamento contou com o coordenador-geral da UEP, Antônio Elizeu; com George Morais, superintendente de Mobilidade Urbana de João Pessoa; e os professores Alexsandro José Virgínio do Santos, do Departamento de Engenharia Elétrica; Sandro Marden Torres, presidente da Agência UFPB de Cooperação Internacional; Antônio Farias Leal, superintendente da SINFRA/UFPB; e Marçal Rosas Florentino Lima Filho, vice-diretor do Centro de Energias Alternativas e Renováveis, UFPB.
 
O que há de mais moderno na área de mobilidade urbana e já é desenvolvido pela UFPB vai ser aplicado pela Prefeitura de João Pessoa. 

“Esse convênio vai abrir portas, uma delas é trazer semáforos inteligentes para a cidade, para facilitar a vida de todos, poluir menos. Carro parado joga CO2 na natureza, não traz benefício algum”, afirmou Antônio Elizeu. É do Programa, criado pela Prefeitura em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que virão os recursos necessários para o projeto.

A ideia é melhorar a estrutura de monitoramento e planejar melhor a cidade. De acordo com o professor Alexsandro, “sensores inteligentes conectados em rede e técnicas de inteligência artificial podem ser usadas para detecção e rastreamento do fluxo de veículos, inclusive em tempo real, permitindo o uso dos dados coletados para planejamento de trânsito, otimização de fluxo, simulações sobre alterações de vias, estudo sobre comportamento dos condutores e armazenamento de históricos de dados”, contou. O modelo desenvolvido oferece ainda subsídios para a identificação da emissão de carbono e pode direcionar políticas de segurança e saúde pública.

George Morais acredita que o convênio trará resultados excelentes para a mobilidade urbana em João Pessoa, “especialmente na modernização do parque semafórico”, que hoje é composto por 223 semáforos, e também na modernização dos equipamentos de videomonitoramento. “Hoje nós temos 100 câmeras que ajudam na fiscalização e possibilitam uma resposta mais rápida ao cidadão pessoense. Essa é nossa principal expectativa: mais tecnologia, mais inovação, mais inteligência que possibilitem um melhor planejamento, otimizando a mobilidade urbana na nossa Capital, fazendo com que o cidadão gaste menos tempo no trânsito e tenha mais tempo para as suas atividades diárias”, detalhou.
 
A parceria inclui, além do material humano, espaço físico para o desenvolvimento de ideias e aplicações que contribuam com o projeto. Uma visita da UFPB à Semob-JP foi agendada para “refinamento de demandas”, explicou o professor Alexsandro. Também ficou marcada uma visita da Prefeitura de João Pessoa à UFPB para apresentação dos laboratórios. É a Prefeitura e a UFPB trabalhando juntas para fazer de João Pessoa uma Cidade Sustentável, funcional e mais humana.

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO