Ação contra homem negro e desarmado que quebrou vidraça mobiliza 9 PMs e 4 viaturas


  Na madrugada da sexta-feira (25), policiais em patrulhamento foram acionados para atender a uma ocorrência de dano a uma pizzaria na região central da capital paulista.

Um morador da região gravou o momento em que uma viatura e dois policiais abordam um homem negro e sem camisa, que a Polícia Militar confirmou viver em situação de rua.

As imagens mostram que o homem não oferece resistência e está com as mãos para trás quando um dos policiais desfere um tapa e agarra seu pescoço, enquanto o colega veste luvas. Ao reagir, o homem é atirado no chão e grita.

Segundo nota da PM, "para realizar a abordagem de maneira segura, os policiais foram obrigados a usar a força em função da agressividade do homem".

Uma segunda viatura chega ao local e um terceiro policial se junta à primeira dupla para conter o homem. Depois, uma terceira viatura estaciona junto à ocorrência, e um quarto policial auxilia na imobilização do suspeito. Uma quarta viatura ainda se juntaria ao grupo, com mais dois policiais.

Segundo a polícia, funcionários do restaurante apontaram que o morador de rua "estava exaltado e arremessou pedras e pedaços de madeira contra eles", o que resultou em uma vidraça quebrada.

De acordo com a nota da PM, como o morador de rua admitiu que, antes de arremessar objetos na pizzaria, havia brigado com outro homem em situação de rua. Foi feito boletim de ocorrência de lesão corporal e o morador de rua foi liberado.

Ao final da gravação, pelo contingente de policiais, parece se tratar de uma operação. As imagens mostram que foram mobilizados nove oficiais da PM e quatro viaturas. A ocorrência era de uma vidraça quebrada e de um suspeito negro, desarmado e em situação de rua.

A corporação foi questionada sobre o número de policiais e viaturas envolvidos na ocorrência, mas a PM não se pronunciou sobre esse aspecto da ação.

Segundo quem registrou as imagens, todo esse aparato das forças policiais ficou mobilizado por pelo menos 30 minutos.

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO