Após quase cinco meses da morte de Kelton Marques, delegado diz que caso já foi elucidado e assassino continua foragido

 


O delegado Rodolfo Santa Cruz, responsável pela investigação da morte do motoboy Kelton Marques, afirmou ao ClickPB nesta quinta-feira (3) que não comenta mais sobre o caso. De acordo com Rodolfo, a parte que cabe à Polícia Civil já foi concluída e que a ocorrência está na esfera judicial. Há quase cinco meses, o autor do crime Ruan Macário segue foragido da Justiça.

"Esse caso eu não falo mais, porque o inquérito foi concluído. Ele [Ruan] é um foragido da Justiça e agora a questão tramita na esfera judicial, saiu da esfera policial. Não posso mais me manifestar sobre o caso, que foi elucidado. Ele está indiciado e denunciado. Agora, onde ele está eu não sei, não. Se alguém souber onde ele está, me ligue, todo mundo tem o meu telefone, que eu vou buscar onde ele estiver", disse.

Em dezembro, a esposa da vítima, Tatiana Andrade, comentou sobre a sensação de impunidade e disse que "é uma vergonha não saber a localização" de Ruan.

"Amanhã completam três meses de luta, de injustiça, de impunidade, de vergonha porque é uma vergonha para mim a gente está fazendo esse tipo matéria, cobrando justiça e a prisão desse assassino porque já passaram três meses. Cadê o Ruan? É uma vergonha não saber a localização", relatou a viúva no programa Arapuan Verdade, da Rádio Arapuan FM, e acompanhado pelo ClickPB.

Kelton Marques trabalhava como motoboy na madrugada de 11 de setembro de 2021 quando foi atropelado e morto pelo veículo conduzido por Ruan Macário em um cruzamento no Retão de Manaíra, em João Pessoa. Ruan estava a mais de 160km/h e ultrapassou um sinal vermelho. Após o acidente, fugiu sem prestar socorro. No seu veículo, além dos documentos e pertences pessoais, ainda havia bebidas alcóolicas. Após a colisão, Ruan teve a prisão preventiva decretada.

CLICKPB


 FALA PARAÍBA-BORGES NETO