Enquanto Pimentel não consegue falar com Romero, Bruno não crer que Kassab tire o PSD do ex-prefeito

 

O suplente em exercício do mandato Pimentel Filho (PSD) disse que sua relação com o ex-prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues, apesar de ainda não ter conversado com ele após o anúncio do apoio a Pedro Cunha Lima, não deve mudar após os últimos acontecimentos. Questionado se conseguiu contato com Romero após o anúncio, foi enfático “Não consegui, contato”. Outro membro do PSD entrevistado foi o prefeito de Campina Grande Bruno Cunha Lima, onde lhe foi indagado sobre a possibilidade de mudança no comando do PSD paraibano, hoje administrado por Romero

Pimentel foi um dos aliados do ex-prefeito que se alinharam e aderiram ao projeto de reeleição do governador João Azevedo, após as conversações iniciadas pela vereadora e hoje secretária de estado Eva Gouveia. Quando indagado se há ambiente para Romero permanecer no PSD, o suplente de vereador disse: “Eu conversando com a secretária Eva, acho que há ambiente para Romero continuar, mas isso depende dele. Mas como eu não sou da executiva estadual e nem nacional, não posso falar muito a respeito”, afirmou destacando que sim foi procurado por membros da oposição para integrar a base de oposição em Campina. “É muito bom isso, você ser chamado a integrar a base de oposição numa cidade”, afirmou Pimentel.

Nesta semana comando do PSC na Paraíba, leia-se a família Gadelha, convidou Romero para se filiar à ´legenda do peixe´ e assumir a sua presidência no Estado. Nessa semana em entrevista o prefeito Bruno Cunha Lima comentou sobre essa possibilidade de Romero ter tirado de si o comando estadual da sigla, por meio de uma decisão do presidente nacional do PSD Gilberto Kassab. “Se a opção do PSD for de deixar de ter três deputados federais, quando atualmente não tem nenhum. É algo que custo a acreditar que ele (Kassab), vá fazer essa opção”, afirmou Bruno.


PB AGORA
FALA PARAÍBA-BORGES NETO