Obras permitem mais trens circulando simultaneamente

 

A população de João Pessoa (PB) que utiliza o sistema de transporte público sobre trilhos vai contar com mais rapidez nos deslocamentos feitos pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). Isso será possibilitado pela entrega, nesta sexta-feira (25), de quatro desvios ferroviários, que vão permitir o aumento da capacidade de operação na Região Metropolitana da capital paraibana e redução do intervalo entre os trens.
Os desvios ferroviários são linhas adjacentes à principal ou a outro desvio e que são utilizados para cruzamentos, ultrapassagens e manobras de formação de trens ou comboios. Essas linhas auxiliares vão permitir o aumento da quantidade de trens da CBTU João Pessoa operando simultaneamente. Com isso, a projeção é que o intervalo entre os trens caia de 69 minutos para cerca de 30 minutos. Também é projetado o aumento da quantidade de passageiros transportados diariamente, dos atuais 12,3 mil usuários para cerca de 21,5 mil viajantes.
Presente à cerimônia de inauguração das melhorias, realizada na Estação João Pessoa, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, destacou o compromisso do Governo Federal de investir em trens urbanos e enumerou as vantagens do sistema ferroviário.

“É uma sinalização de que estamos, efetivamente, investindo no que há de mais importante para a população: a melhoria da sua qualidade de vida”, atestou o ministro. “É um transporte que tem diferencial em relação ao ônibus. Quem anda no trem vai andar com regularidade, com segurança, com conforto”, completou.
“Vocês imaginam que o tempo de espera está girando em torno de 70 minutos e, só com isso que vamos entregar hoje, pode reduzir para cerca de 30 minutos? Meu sentimento é de gratidão com essa entrega de hoje, que ajuda a amenizar os problemas da Região Metropolitana da cidade”, comemorou o prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena.
O diretor-geral da CBTU, José Marques de Lima, destacou que o sistema inaugurado nesta sexta-feira é de fundamental importância para a operação da CBTU na Paraíba. “Sem esse investimento, podiam ter 50, 100 trens que apenas dois iriam rodar. Porque o sistema, sem esses quatro cruzamentos, não sustentaria mais veículos”, afirmou.

O Centro de Controle Operacional (CCO) da CBTU-PB (foto à esquerda) também está sendo preparado para monitoração remota da operação ferroviária, proporcionando maior otimização dos recursos operacionais.
Ao todo, o investimento do Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), em melhorias da operação da CBTU em João Pessoa é de R$ 10,3 milhões. São R$ 7,5 milhões para a construção dos desvios entregues nesta sexta-feira e mais R$ 2,8 milhões para as reformas das Estações Jacaré, Várzea Nova e Bayeux, que estão em andamento.
As obras na Paraíba fazem parte de um conjunto de repasses feito pelo MDR à CBTU, que incluíram também as operações nas Regiões Metropolitanas de Natal (RN) e de Recife (PE). Esta foi a primeira vez, em quase 40 anos, que a União fez investimentos em ampliação e modernização nos sistemas da CBTU nesse porte.
Outras ações
Em Natal (RN), os investimentos da União somam R$ 73,1 milhões, que estão sendo utilizados para a construção das Linhas Branca e Roxa. Parte da primeira já está em operação, atendendo a cidade de Parnamirim.
As obras da Linha Branca, que vai contar com três trechos ao todo, foram iniciadas em fevereiro de 2021 e beneficiarão 7 mil passageiros. Serão construídos 23,4 quilômetros de vias, com quatro novas estações a partir de Parnamirim, passando por São José de Mipibu e chegando até Nísia Floresta. O investimento federal é de R$ 58,3 milhões.
A construção da Linha Roxa da CBTU na Grande Natal teve a pedra fundamental lançada em setembro de 2021. Com aporte de R$ 14,8 milhões do Governo Federal, o empreendimento contempla a instalação de 4,1 quilômetros de trilhos e a construção de três estações: BR-101 Norte, Guararapes e Vicunha. A previsão é que 2 mil pessoas sejam atendidas diariamente pelo ramal. As obras estão 40% concluídas.
Com a construção das Linhas Branca e Roxa, a malha ferroviária da Grande Natal se tornará a mais extensa do Nordeste e a terceira maior do País — atrás apenas das Regiões Metropolitanas de São Paulo e do Rio de Janeiro.
Já na Grande Recife, foi inaugurada em dezembro do ano passado a segunda ponte ferroviária sobre o rio Pirapama, em Cabo de Santo Agostinho (PE). Com investimento federal de R$ 11,4 milhões, a infraestrutura, de 90 metros de extensão, é parte do projeto de duplicação da Linha Sul Diesel do sistema VLT do Metrô do Recife, operada pela CBTU.
Quando o projeto de duplicação da Linha Sul Diesel do sistema VLT do Metrô de Recife estiver finalizado, 21 mil passageiros poderão fazer o trajeto de Cajueiro Seco a Cabo de Santo Agostinho diariamente. A quantidade de estações vai passar de quatro para seis e o tempo de percurso entre as estações de VLT cairá de 51 minutos para 23 minutos.

MaisPB


FALA PARAÍBA-BORGES NETO