PC investiga suposta negligência no Hospital Universitário Júlio Bandeira após morte de criança

 

A Polícia Civil investiga se houve suposta negligência hospitalar, no caso da morte de uma criança de três anos após esta dar entrada no Hospital Universitário Júlio Bandeira, na cidade de Cajazeiras, no Sertão da Paraíba, na última sexta-feira (22).

De acordo com as investigações, a vítima foi levada para o Hospital Municipal de São João do Rio do Peixe, e em seguida, foi encaminhada para o Hospital Universitário de Cajazeiras (HUJB). Conforme a Polícia Civil, a mãe da menina informou que o Hospital Universitário demorou para realizar a transferência e atendê-la, pois os leitos estavam ocupados.

A polícia destaca ainda que, no corpo da menina foi encontrada uma lesão e os agentes investigam a causa. O resultado do laudo ainda não foi divulgado.

O Hospital Universitário de Cajazeiras publicou uma nota nas redes sociais no qual afirma que não houve recusa no atendimento, além de salientar que os profissionais realizaram as medidas necessárias para salvar a criança.

Veja a nota:

No último dia 22, a equipe do Hospital Municipal São João do Rio do Peixe entrou em contato com a equipe do HUJB, às 10h55, para solicitar atendimento a criança com queixa principal de dor abdominal de forte intensidade.

No momento do contato, o HUJB estava com todos os leitos ocupados (…) A equipe do hospital orientou que em se tratando de caso clínico de urgência ou emergência, a criança deveria ser encaminhada via Samu para a nossa unidade hospitalar, possibilitando todo o suporte para a transferência.

Portanto, não houve recusa no atendimento (…) Diante do exposto, a criança foi encaminhada do Hospital Municipal São João do Rio do Peixe via Samu para o HUJPB, chegando aproximadamente às 12h30, após liberação de leito decorrente de transferência de uma criança para o Hospital de Patos (…).

Os profissionais adotaram todas as medidas previstas nos protocolos clínicos para o caso, buscando salvar a vida da criança (…) No entanto, o estado de saúde, já muito comprometido da menor, evoluiu para o óbito (…).

Ressaltamos que a criança foi atendida em unidade hospitalar municipal e após foi transferida para o HUJB por meio do Samu, não ficando sem atendimento dos profissionais de saúde.

PB AGORA


BORGES NETO LUCENA INFORMA