Total de adolescentes com Título de Eleitor é 30% menor que em 2018

 

Mesmo diante de recordes em novos cadastros de Títulos Eleitorais nos primeiros três meses de 2022, o número de adolescentes com 16 e 17 anos aptos a irem às urnas em outubro ainda é menor do que o verificado nas últimas duas eleições gerais, em 2018 e 2014. Até março deste ano, 1,051 milhão de cidadãos nessa faixa etária estavam habilitados para a votação. Em 2018, eram 1,5 milhão; e, em 2014, 1,8 milhão.

Pelos números, observa-se que os adolescentes, mesmo ainda em idade na qual o voto é facultativo, procuravam mais a Justiça Eleitoral para fazer seus títulos em 2014 e em 2018 do que nos dias atuais. Em 2014, a taxa de eleitores habilitados em março era 42,3% maior do que o índice registrado neste ano. Em 2018, pleito no qual o presidente Jair Bolsonaro (PL) foi eleito, a quantidade de Títulos Eleitorais aptos para esta faixa etária era 30,7% maior.

Campanhas de conscientização e incentivo ao eleitorado como um todo, em especial aos jovens, por meio da mídia e das escolas, têm aumentado o número de eleitores com 16 e 17 anos. Publicações espontâneas de influenciadores e artistas, como a cantora Anitta, têm impulsionado a mudança de comportamento.

Somente entre janeiro e março, o Brasil ganhou 421 mil novos eleitores entre 16 e 17 anos devidamente habilitados para votar. Em dezembro de 2021, 630 mil adolescentes nessa faixa tinham o título. Em março, o número aumentou para 1,051 milhão – crescimento de 58,7%. O esforço, porém, ainda precisa ser maior.

Os jovens têm até 4 de maio para aumentar seu nível de participação nas urnas. Para alcançar o patamar de 2018, é necessário que meio milhão de adolescentes se inscrevam no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ainda há tempo. O cadastro eleitoral seguirá aberto até quarta-feira (4/5), data-limite para solicitação do título, transferência do domicílio eleitoral e regularização de eventuais pendências com a Justiça Eleitoral.

Emitir a primeira via do Título de Eleitor é fácil. O procedimento pode ser feito em casa, por meio da internet, no Portal do TSE. O interessado deve acessar o Autoatendimento do Eleitor, clicar em “Atendimento ao Eleitor”, selecionar “Tirar o 1º Título Eleitoral” e seguir as instruções da página.

Segundo a Resolução TSE nº 23.659/2021, artigo 35: “A apresentação de certificado de quitação militar somente é obrigatória para alistandos do gênero masculino que pertençam à classe dos conscritos”, ou seja, para os brasileiros nascidos entre 1º de janeiro e 31 de dezembro do ano em que completarem 19 anos, os quais compõem a classe chamada para a seleção, tendo em vista a prestação do Serviço Militar inicial.

Metropolis

BORGES NETO LUCENA INFORMA