Energisa é investigada pelo MPF por descumprir normas técnicas e de segurança, e causar poluição visual em Areia

 

O procurador federal Bruno Barros de Assunção, do Ministério Público Federal (MPF) em Campina Grande, instaurou um Inquérito Civil para investigar a Energisa por não disponibilizar em seus postes de energia localizados no município de Areia espaços para que empresas de telecomunicações instalem cabos de telefonia e internet, o que estaria em desconformidade com as normas técnicas e de segurança.

De acordo com o despacho de instauração do inquérito, sem o espaço adequado para a instalação dos cabos, a cidade estaria sofrendo com poluição visual e o patrimônio histórico e cultural tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) estaria sendo prejudicado.

De acordo com o procurador, o principal objetivo do inquérito é verificar se a Energisa cumpriu integralmente notificação emitida pelo Iphan justamente para a solução do problema.

Confira:

 

Feliphe Rojas
PB Agora


BORGES NETO LUCENA INFOMRA