OAB-PB, MPPB e CRM-PB articulam ações para garantir segurança obstétrica de pacientes

 

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PB), o Ministério Público da Paraíba (MPPB) e o Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) estão unindo esforços para garantir a segurança obstétrica das pacientes. Nessa segunda-feira (18), foi realizada uma reunião com representantes dos órgãos para discutir linhas de ação, tendo sido definida uma série de encaminhamentos como visitas a serviços de saúde, campanhas educativas e reuniões com gestores públicos.

A reunião, que aconteceu na sede do MPPB, contou com a presença do presidente da OAB-PB, Harrison Targino; dos promotores de Justiça de João Pessoa, Glauberto Bezerra (Consumidor), Leonardo Pereira de Assis (Saúde) e Jovana Tabosa (Saúde); do presidente do CRM-PB, João Modesto; do diretor de Fiscalização do CRM-PB, Bruno Leandro de Souza; da coordenadora da Rede Sororidade, Janayna Nunes; e dos presidentes de comissões da OAB-PB, Ana Cristina Estrela (Direitos Humanos), Raphael Viana (Direito Médico), Ana Beatriz Eufrazino (Combate à Violência contra a Mulher), Izabelle Ramalho (Mulher Advogada) e Christiane Nascimento da Silva, secretária da Comissão de Combate à Violência contra a Mulher.

O presidente da OAB, Harrison Targino, destacou a importância da união dos órgãos e das ações conjuntas em defesa de pacientes. “Estamos numa reunião de esforços com o Ministério Público e CRM para pensarmos ações que possam evitar a violência obstétrica. O resultado do debate foi uma série de atividades, como diagnóstico em hospitais, lançamento de cartilha e campanha contra a violência obstétrica. A expectativa é que, unindo esforços, todos possamos melhorar a qualidade dos serviços e, sobretudo, garantir maior segurança às pacientes e pacientes”, disse.

Durante a audiência, o promotor Glauberto Bezerra explicou que essa atuação dos promotores de defesa do consumidor e da saúde busca revigorar o Programa de Segurança do Paciente, anteriormente realizado. “Estamos buscando a concretização do direito humano à saúde e a garantia da dignidade da pessoa humana que necessita do serviço de saúde. A ideia é fortalecer, verticalizando a proteção aos pacientes. Nos casos da segurança obstétrica, vamos fiscalizar hospitais juntamente com Bombeiros e Crea, buscando prevenir acidentes e intercorrências. Essa ação institucional com a OAB e CRM fortalece ainda mais o usuário da saúde e o consumidor na busca da orientação, do cumprimento e do convencimento e, em última instância, para aqueles que sejam renitentes no descumprimento das normas, as reprimendas legais”, disse.

A promotora Jovana Tabosa lembrou da criação do Fórum Interinstitucional de Prevenção e Combate à Violência Obstétrica, em 2018, e destacou a importância da parceria com a OAB e o CRM. “Com a conjugação de esforços desses órgãos isso será um facilitador para que os resultados sejam concretos”, acrescentou. O promotor Leonardo Pereira de Assis também ressaltou a importância da união de esforços para a garantia da segurança do paciente e, especificamente, a segurança obstétrica.

O presidente do CRM, João Modesto, afirmou que a reunião sinalizou medidas que podem diminuir uma série de problemas ou acontecimentos negativos que podem acometer a sociedade. “Vamos reativar um fórum que já existe sobre esse assunto, fazer cartilhas, reunir os diretores de hospitais e Secretarias de Saúde dos municípios e do estado para chegarmos a uma definição daquilo que vai ser bom tanto para a sociedade, como para o médico e todos os envolvidos”.

Encaminhamentos da reunião

1- Realização de um evento temático;

2- Reativação do Fórum de Prevenção e Combate à Violência Obstétrica;

3- Reunião com gestores públicos ligados à prestação de serviços médico-hospitalares;

4- Formação de uma cartilha sobre segurança do paciente;

5- Realização de visitas aos serviços públicos e privados de saúde para a busca de subsídios às ações de promoção da segurança do paciente.

PB AGORA


FALA PARAÍBA-BORGES NETO