EUA quer classificar OVNIs de nova forma; entenda

 


Um documento do Senado dos Estados Unidos de julho deste ano afirma que o país tem mais ameaças de objetos que trafegam em diferentes meios (como ar, terra e água); ou seja, objetos não identificados que se movem (aqueles que popularmente são chamados de óvnis, mas agora incluindo também aqueles avistados na terra e na água, não apenas os voadores).

O texto é, na verdade, de autoria de um comitê do Senado sobre o orçamento dos serviços de inteligência governo americano. Um dos parágrafos do documento afirma o seguinte:

“Em um momento em que ameaças transmeios de domínio cruzado à segurança nacional dos EUA estão aumentando exponencialmente, o comitê está frustrado com o ritmo lento dos esforços liderados pelo Departamento de Defesa para criar um departamento para lidar com essas ameaças e substituir a antiga Força Tarefa de Fenômenos Aéreos Não Identificados.”

Portanto, havia uma força tarefa com esse propósito, mas agora há uma determinação, ainda não cumprida, para que seja criado um departamento específico. Esse departamento vai ter objetivos levemente diferentes (veja abaixo).

O mesmo texto entra em especificações sobre alguns conceitos. O que antes era chamado de “objetos temporários não atribuídos” ou aqueles que são identificados como de construção humana após uma análise não devem ser considerados como um fenômeno aeroespacial ou aquático não identificado.

Portanto, o Senado pede para que o governo crie um novo departamento que trate apenas de objetos não identificados.

Qual era o propósito do texto?

O documento não diz qual é a fonte para afirmar que as ameaças de objetos não identificados aumentaram.

O propósito do texto do Congresso é pedir para que o governo acelere a criação desse departamento. O Congresso reclama que “o progresso” (sem especificar do que) está sendo dificultado pela demora na criação desse órgão.

Nomes longos

O documento pede para que o novo órgão tenha o nome Departamento do Programa Conjunto de Fenômenos Aeroespaciais e Submarinos Não Identificados.

Essa nome, de acordo com o Congresso, reflete o escopo do esforço para identificar, classificar e estudar fenômenos aeroespaciais e submarinos não identificados. “[Esse] é um problema inerentemente desafiador entre agências que requer uma abordagem conjunta da comunidade de inteligência e do Departamento de Defesa”.

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO