Piso da enfermagem: Procuradora-chefe do MPT-PB diz que é comum retaliação da classe patronal após conquista de direitos trabalhistas


 A Procuradora-chefe do Ministério Público do Trabalho da Paraíba, Andressa Ribeiro Coutinho, relatou aoClick PB que o Ministério Público se preocupa muito com as categorias que estão passando pelo mesmo processo que os profissionais de enfermagem vivem nesse momento. Ela explicou que é comum haver represália da classe patronal quando uma categoria assegura novos direitos, como vem acontecendo com os profissionais de enfermagem.

“O Ministério Público se preocupa muito com essa situação. Quando há uma conquista de uma categoria pode haver por outro lado retaliação do empregador, que vem isso como um aumento de custo. Isso pode levar também a precarização do trabalho”, detalhou a procuradora.



Conforme oClickPBpublicou em primeira mão na última quarta-feira (11), as entidades ligadas a categoria denunciaram demissões em massa e assédio moral nos hospitais privados. Há denúncia também de profissionais que foram demitidos e readmitidos imediatamente, mas como Pessoa Jurídica (PJ), o que é irregular. Segundo a Lei, após ser demitido, o funcionário só poderia ser recontratado sob um novo regime de trabalho, após 18 meses.

CLICKPB



FALA PARAÍBA-BORGES NETO