‘Possibilidade de atentados contra democracia’, diz Moraes sobre mensagens

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, retirou, nesta segunda-feira (29), o sigilo da decisão que autorizou mandados de busca e apreensão contra empresários bolsonaristas. Em grupo de WhatsApp, os homens levantaram a hipótese de um Golpe de Estado caso o presidente e candidato à reeleição perdesse as eleições.


O site Metrópoles realizou uma reportagem no dia 17 de agosto e mostrou empresários bolsonaristas defendendo um Golpe de Estado. A Polícia Federal se baseou na matéria para começar as investigações, que estavam em sigilo até hoje. Na decisão, Alexandre de Moraes reforçou o ideal antidemocrático das mensagens.


“[…] não há dúvidas de que as condutas dos investigados indicam possibilidade de atentados contra a Democracia e o Estado de Direito, utilizando-se do modus operandi de esquemas de divulgação em massa nas redes sociais, com o intuito de lesar ou expor a perigo de lesão a independência do Poder Judiciário, o Estado de Direito e a Democracia; revelando-se imprescindível a adoção de medidas que elucidem os fatos investigados, especialmente diante da existência de uma organização criminosa identificada no Inq. 4.874/DF e também no Inq. 4.781/DF, ambos de minha relatoria”, disse em trecho da decisão.


Moraes destaca, no trecho, outros inquéritos relacionados a investigação de fake news contra ministros do Supremo e autoridades e de uma “milícia digital”. Além disso, o ministro do STF destacou a condição financeira dos investigados. Portanto, ele destacou a necessidade de “bloquear contas bancárias”, pois, devido à condição financeira dos envolvidos, eles poderiam financiar ou incitar práticas antidemocráticas no país.


MaisPB com g1


BORGES NETO LUCENA INFOMRA