Após audiência de custódia, ator paraibano José Dumont continuará na cadeia por armazenar pornografia infantil

 

Continuará na cadeia o ator José Dumont, de 72 anos, que foi preso ontem em flagrante por policiais civis da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV), pelo crime de armazenamento de imagens de sexo envolvendo crianças. A prisão em flagrante foi convertida em preventiva pelo juiz Antonio Luiz da Fonseca Lucchese, durante audiência de custódia realizada no início da tarde desta sexta-feira (16). O crime é previsto no Artigo 241-B do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Os agentes cumpriam mandado de busca e apreensão na casa do ator, que mora no Catete, na Zona Sul do Rio, quando encontraram diversos vídeos pornográficos de menores no celular e no computador de Dumont. Detido, o artista foi levado para a sede da Dcav, no Centro do Rio, e em seguida transferido para a Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica. A investigação corre sob sigilo.

A defesa do ator ainda não se pronunciou sobre a prisão. José Dumont foi alvo de investigação em inquérito na Dcav pelo crime de estupro de vulnerável. De acordo com a polícia, ele teria se aproveitado do prestígio e reconhecimento como ator para atrair a atenção de um adolescente de 12 anos, que era fã do suspeito. A denúncia partiu de vizinhos. Segundo a investigação, câmeras de segurança do condomínio onde ele mora flagraram o ator cometendo abusos contra o adolescente, como beijos e carícias.

A investigação aponta ainda que ele desenvolveu um relacionamento próximo com o menino, oferecendo ajuda financeira e presentes, valendo-se da vulnerabilidade financeira da vítima para, a partir daí, fazer investidas com beijos na boca e carícias íntimas, que acabaram sendo captadas por câmeras de vigilância, dando início às investigações.

A polícia informou ainda que, durante as buscas, imagens e vídeos de sexo envolvendo crianças foram encontradas no computador pessoal e no celular do investigado, o que levou à prisão em flagrante. A Justiça também tinha autorizado a quebra de sigilo de dados.

Com mais de 40 de carreira, José Dumont estava escalado para a novela "Todas as flores", no Globoplay, plataforma de streaming da TV Globo, que tem estreia prevista para outubro. Em nota, a Globo afirmou que o ator foi retirado da trama criada e escrita por João Emanuel Carneiro com direção artística de Carlos Araújo.

"O ator José Dumont estava contratado como obra certa especificamente para a novela “Todas as Flores”, a ser exibida no Globoplay. Diante dos fatos noticiados, a Globo tomou a decisão de retirá-lo da novela. A suspeição de pedofilia é grave. Nenhum comportamento abusivo e criminoso é tolerado pela empresa, ainda que ocorra na vida pessoal dos contratados e de terceiros que com ela tenham qualquer relação."

cCLICKPB


BORGES NETO LUCENA INFOMRA