Após união do PSC e Podemos, situação de lideranças na Paraíba ainda será definida, diz Renato Gadelha

 

Após o Podemos anunciar a incorporação do PSC, o ex-deputado estadual Renato Gadelha (PSC), em entrevista ao ClickPB, nesta quarta-feira (25), revelou que a união para formar uma sigla só era inevitável diante o resultado da eleição. De acordo com Renato Gadelha, com a incorporação, o PSC se fortalecerá ao ampliar a bancada no Congresso Nacional.

"Como não atendeu as clausulas de barreira. Teria que se unir a algum partido e essa união é muito importante. Conseguimos um número importante de deputados e senadores e essa união coloca o partido na mesa de negociações no Congresso Nacional", disse ao ClickPB.

Nas eleições de outubro, o PSC não atingiu a cláusula de barreira, regra que estipula a quantidade mínima de parlamentares e de votos em todo o país que um partido precisa obter para manter acesso a determinadas verbas e direitos.

Ao não atingir a cláusula de barreira, o PSC perderia, em 2023, acesso aos fundos eleitoral e partidário, além de tempo de televisão e vaga nos debates das eleições 2024 e 2026, por exemplo. O Podemos e PSC terão, em 2023, uma bancada de 18 deputados federais e 7 senadores. Será a oitava maior bancada da Câmara.

Gadelha ainda destacou que uma reunião prevista para dezembro avaliará as mudanças no partido. O partido Podemos anunciou incorporação do PSC nesta terça-feira (22). Sigla mantém o nome Podemos e adota o número de urna do PSC: 20.

CLICKPB


BORGES NETO LUCENA INFORMA