Farmácias de João Pessoa registram alta procura por auto-testes de Covid-19 e unidades chegam a 'sumir' do estoque

 

Algumas farmácias de João Pessoa têm registrado um aumento na procura pelos chamados auto-testes da Covid-19 e até mesmo, devido a procura, uma falta no produto. Conforme apurou o ClickPB, em contato com três farmácias da capital, a procura aumentou na primeira semana semana de novembro após as eleições.

"Há duas semanas atrás, antes da eleição, eram vendidas uma, duas, unidades por dia. Depois, começaram a ser vendidas 20, 30, 40 por dia. Aumentou bastante", informou em entrevista ao ClickPB, o farmacêutico Robson Vinícius, que atua em uma drogaria localizada no bairro da Torre. 

No momento da entrevista, o produto estava em falta devido a alta procura e era aguardada a chegada de uma nova remessa, já solicitada. 

Segundo Robson, além do teste tem sido observada na unidade o crescimento na procura por máscara, luva, álcool em gel. Além de anti-gripais, além de anti-inflamatórios e complexos para aumentar o sistema imunológico. A informação também foi compartilhada pela farmacêutica Neide Braga, que atua em uma farmácia da mesma rede, no bairro do centro. 

Ela informou que mesmo a unidade contando com auto-testes em estoque, há de apenas uma marca, "devido a alta procura". 

Karina Alves é farmacêutica em uma unidade de outra rede de farmácias, na avenida Epitácio Pessoa. De acordo com ela, a procura passou a ser maior também na primeira semana de novembro. "A gente tava vendendo logo no início do ano, tava tendo uma procura, depois no meio do ano de uma queda. Depois do final das eleições, início de novembro, começou a procura, ai zerou".

Segundo ela, na unidade, com o novo aumento passaram a ser vendidos diariamente em média 10 auto-testes. A falta de testes ocorre em toda a rede dona da drogaria que ela trabalha.

De acordo com a farmacêutica já foram realizados os pedidos porém há a informação que ocorre a falta também nas indústrias responsáveis pelos testes. "A gente já fez pedido mas também a indústria está em falta, ai fica nesse empasse a gente fica aguardando", explicou. 


CLICKP


BORGES NETO LUCENA INFORMA