'Caneta azul' renova gênero 'É ruim, mas é bom' na internet; relembre outros hits improváveis

RIO — Caso você não tenha passado os últimos dias totalmente desconectado, é quase impossível não ter ouvido algum áudio com a música " Caneta azul ", ou uma das várias de suas versões que circulam na internet. Muito provavelmente, deve ter se deparado com o termo em memes ou citações nas redes, já que ele estourou no YouTube e virou Trend Topics do Twitter , ou mesmo ter escutado alguém cantando os versos " Caneta azul/ azul caneta,/caneta azul/ está marcada com minha letra ".
Para quem ainda não sabe de onde veio a tal caneta azul, o YouTube responde: postada na rede de vídeos no dia 18 de outubro, um registro com o tema composto e interpretado pelo vigilante maranhense Manoel Gomes viralizou e, esta semana, chegou a 10 milhões de visualizações. Logo, famosos aderiram ao sucesso sobre um estudante que perde sua caneta azul no caminho da escola e tenta encontrá-la.
A música foi cantada por Wesley Safadão em um show em Marabá (Pará) e tocada pelo DJ Alok durante uma apresentação nos EUA. Simone e Simaria , Eduardo Costa e o apresentador Rodrigo Faro foram outros que postaram versões para a letra. 
O jogador Neymar postou nos stories um vídeo ouvindo uma versão eletrônica da música em sua Ferrari. Mas o auge do sucesso veio em um show Thiago Brava em Porto Nacional (TO), em que Manoel Gomes subiu ao palco para cantar o hit diante de milhares de pessoas.
O que muita gente se pergunta no momento é como a música virou um hit instantâneo, no YouTube e em outras redes — a conta de Manoel Gomes no Instagram alcançou mais de 70 mil seguidores.
Mistérios da internet à parte, o fato é que "Caneta azul" é o mais recente de uma longa linhagem de sucessos improváveis que dominam as redes sem qualquer razão aparente, podendo ou não vir a cair no esquecimento depois. Relembre alguns destes hits que desafiaram os algoritmos e os cânones da qualidade musical.
Guitarra Humana
Conhecido como Tonho da Lua, um morador de Chã Preta, pequena cidade de Alagoas, protagonizou em 2017 um vídeo em que imitava uma guitarra com a boca, que mantém, até o momento, 14,2 milhões de visualizações no YouTube. O Guitarra Humana, como passou a ser conhecido, ganhou versões de vários músicos e chegou a gravar o single "Viral pisadinha" com Joey Montana e Felipe Araújo. O verso "Solta a pisadinha" chegou até a ser tocado por Mordecai es Rigby, em um vídeo do desenho "Apenas um show", do Cartoon Network.
'Para nossa alegria'
Em 2012, os irmãos Jefferson e Suellen da Silva Barbosa tornaram-se webcelebridades da noite para o dia quando uma gravação caseira do tema gospel "Galhos secos", do grupo Catedral, viralizou, chegando a mais de 30 milhões de visualizações no YouTube. O toque cômico do vídeo, que impulsionou sua popularidade, veio de forma involuntária, quando Jefferson entra na canção cantando mais alto, levando a irmã a uma crise de risos. Os irmãos hoje não seguem a carreira artística, mas chegaram a assinar contratos de publicidade e a participaram do longa "Internet: O filme" (2017).
Stefhany do Crossfox
Em 2009, a piauiense Stefhany Cardoso gravou com amigos uma versão de "A thousand miles", da cantora americana Vanessa Carlton, na qual os versos "If I could fall/into the sky" viraram "No meu Crossfox/Eu vou sair". Os 7,5 milhões de visualizações do vídeo em diferentes canais a transformaram em Stefhany Absoluta, que ensaiou uma carreira na música gospel, catapultada por várias participações em programas da TV aberta — sua participação no "Caldeirão do Huck" terminou com ela ganhando um carro do mesmo modelo. Recentemente, a cantora se envolveu numa polêmica, com o fim de seu casamento com o empresário Roberto Cardoso , 23 anos mais velho que ela.
Jeremias Muito Louco
Durante 14 anos no ar no programa "Sem meias palavras", sucesso vespertino da TV Jornal, de Caruaru (PE), o repórter policial Givanildo Silveira descobriu muitas figuras locais, como o Caninha e o agricultor que acreditava ser Jesus Cristo. Mas seu maior sucesso foi Jeremias Muito Louco, detido em 2006 após acusação de pilotar uma moto embriagado. O vídeo com uma música improvisada, cantada ao microfone do repórter, viralizou e foi vista por mais de 7 milhões de pessoas. O tema ganhou várias versões, inclusive uma animação em ritmo de funk, e a história foi contada no curta-metragem "O cão foi quem butô pá noiz bebê" (2017), de J. G. Kowalski.
Babau do Pandeiro
O precursor de todas as versões improváveis é o cearense Babau do Pandeiro, que começou a carreira de cantor e compositor em 2004, ano em que o Orkut se tornou a primeira rede social do Brasil. Na época, marchinhas suas como "Bebe água galinha" ("Bebe água galinha/ "Bebe água galinha/ Riba o bico pra cima/ que vocês tudo são minha") eram compartilhadas em grupos da antiga plataforma, e depois seus registros passaram a ser compartilhados em vídeos (atualmente são mais de 730 registros e versões no ar). Na ativa aos 73 anos, Babau percorre os bares de Fortaleza para vender seus discos, com hits que caíram na web como "Bota a cabra pra berrar" e "A minha bicicleta".
CLICKPB


BORGES NETO LUCENA INFORMA

Comentários