Advogado tem melhor avaliação da população

O advogado tem a melhor reputação entre os membros do sistema de justiça, com 45% da população avaliando a sua atuação como ótima e boa. Isso é o que revela o Estudo da Imagem do Judiciário Brasileiro realizado pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e a Fundação Getulio Vargas (FGV-Rio). A Associação Paraibana da Advocacia Municipalista (APAM) lembrou que no próximo domingo (8) se comemora o Dia da Justiça e destacou a importância do advogado no acesso à justiça e a sua ótima reputação perante a sociedade.
Segundo a pesquisa, o advogado lidera o ranking de melhor avaliação, seguido por defensores públicos (35%), juízes (32%), promotores e membros do Ministério Público (31%), desembargadores (27%), ministros do Superior Tribunal de Justiça (24%) e ministros do Supremo Tribunal Federal (22%). O levantamento foi realizado pelo Instituto Ipesp, no mês de agosto deste ano. Para ler o estudo completo é só acessar o site da AMB: www.amb.com.br.
A pesquisa aponta ainda que a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) apresenta a melhor reputação em termos de confiança da população entre empresas e organizações, com 66% das avaliações positivas. Em segundo lugar vem as empresas privadas com 56%, seguido dos Movimentos Sociais com 49%.
O estudo aponta que 64% da população consideram a lentidão e a burocracia como os principais fatores que mais desmotivam as pessoas a procurarem a Justiça. Além disso, 28% avaliam que a desmotivação também se justifica porque as decisões judiciais só favorecem quem tem dinheiro e poder. De outro lado, 83% das pessoas acreditam que o Poder Judiciário é importante ou muito importante para a democracia e 59% acreditam que vale a pena recorrer à Justiça.
“A falta de acesso à Justiça ainda é um grave problema que vivenciamos e essa pesquisa evidencia isso. Os dados também mostram que nós advogados estamos cumprindo bem o nosso papel e temos a confiança da população. O estudo revela que estamos no caminho certo, mas que devemos continuar atuando para que a justiça seja célere e universal”, disse o presidente da Apam, Marco Villar.
MaisPB



BORGES NETO LUCENA INFORMA

Comentários