Concerto para Oboé de Mozart é destaque da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba

O Concerto para Oboé, do compositor austríaco W. A. Mozart, é uma das atrações do 9º Concerto Oficial da Temporada 2019 da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba, que será realizado, nesta quinta-feira (5), às 20h30, na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, no Espaço Cultural, em João Pessoa, com entrada gratuita. O concerto tem regência do maestro Luiz Carlos Durier e participação do oboísta da OSJPB, Danrley Natan de Lima, como solista.

“Nós estamos muito contentes, pois a Sinfônica Jovem da Paraíba, neste ano de 2019, produziu muita coisa boa, com qualidade artística e com diversidade de autores nos nossos concertos. Neste nono concerto não será diferente”, disse o maestro. 

Esta apresentação da Orquestra Jovem terá início com a execução de “Abertura Cubana”, composição do americano George Gershwin, que compôs tanto para a Broadway quanto para concertos clássicos. “Uma música muito legal, muito dançante, muito empolgante”, observou Durier. 

Em seguida, com a presença do oboísta Danrley Natan de Lima, será a vez do “Concerto para Oboé em Dó Maior, KV. 314 (Allegro sperto, Adagio non tropo, Rondó – Allegro), de Mozart, um dos mais célebres compositores de todos os tempos.   “O concerto de Mozart é um concerto muito importante na literatura do oboé, por várias razões. Uma delas é do ponto de vista técnico e a outra do ponto de vista musical, mas o mais importante é a beleza que esse concerto tem e o quanto ele empolga a todas as pessoas que ouvem a música maravilhosa de Mozart”, destacou.

O concerto será encerrado com “Quadros de uma Exposição”, do compositor russo Modest Mussorgsky, considerada uma obra-prima de sugestão poética. Essa composição tem uma sequência de peças intituladas: Promenade, O Velho Castelo, Ballet dos Pintinhos em suas Cascas de Ovos, Samuel Guldenberg e Schmuyle, Limoges – A Praça do Mercado, Catacumbas Sepulcrum Romano, Com Mortos em Língua Morta, Baba Yaga, A Cabana sobre Patas de Galinha e A grande Porta de Kiev. “Trata-se de uma música muito importante da literatura universal, numa orquestração bastante inusitada de Mikhail Tuchmalov. Cada uma dessas peças tem as impressões do autor. São quase descritivas”, explicou o maestro.

Durier tem boas expectativas sobre a atuação das orquestras paraibanas na temporada do próximo ano. “Pelos exemplos que tivemos este ano, esperamos poder fazer ainda melhor no ano de 2020. A Orquestra Sinfônica Jovem é uma joia de produção musical. Muitos talentos paraibanos e até de estados vizinhos procuram a orquestra sinfônica para desenvolverem as suas habilidades artísticas e técnicas e a Paraíba tem a vantagem de ter organismos musicais importantes para que as pessoas possam estudar, crescer e se tornar bons profissionais da música”.

Secom PB


BORGES NETO LUCENA INFORMA

Comentários