Carlos Monteiro promete seleção pública para secretários e realização de concursos

 

O convidado desta quinta-feira (15) do programa Tribuna Livre que entrevista os candidatos a prefeito de João Pessoa foi Carlos Monteiro (Rede).

O candidato destacou sua origem humilde, vindo de Patos, no Sertão da Paraíba, e passando por casas de estudantes e como formou-se advogado e hoje é procurador do Estado. Ele ressaltou que por esse cargo vai renunciar ao salário de prefeito, assim como seu vice, e o dinheiro economizado será destinado para o fundo municipal de combate à pobreza.

Monteiro também ressaltou que foi escolhido para disputar a vaga à Prefeitura de João Pessoa em um processo seletivo inédito e que vai levar essa maneira para a escolha dos secretários de Saúde e Educação. Ele também ressaltou a necessidade de realizar concursos públicos para tornar a administração pública mais impessoal, moral e preparada para atender com qualidade.

“Temos um debate inovador, não é só um rosto novo. Fui escolhido em um processo seletivo onde 52 pessoas se inscreveram. Não venho de oligarquias, venci por meio do estudo, sempre estudei em escola pública”, disse.

Agenda mundial 2030 de desenvolvimento sustentável

Integrante do partido Rede Sustentabilidade, o candidato pontuou a necessidade de implementar um programa de reciclagem de resíduos, revitalizar os rios de João Pessoa, além de propor um mutirão de calçamento na cidade.

Posteriormente, o candidato também citou o compromisso com a redução de carbono, alegando que não adianta encher a cidade de veículos. Ele comentou que quer levar os serviços públicos para os bairros, mas também fazer uma licitação de bicicletários para que o cidadão possa se locomover sem carro. Outra proposta são os microonibus entre bairros evitando, assim, a necessidade de deslocamento até a integração.

Emprego e renda

Monteiro propôs a execução de orçamento por bairro com a criação de mais de 80 cooperativas de trabalho familiares, onde a Prefeitura e as empresas parceiras comprariam os produtos.

O político sugeriu também a criação do Banco Sol, voltado para a mulher empreendedora, além de fortalecer o Banco Cidadão. Ele também propôs a tarifa social como existe em outras capitais que diminui o valor da passagem dos transportes públicos em determinados horários. A sugestão de Monteiro é reduzir de R$ 4,15, além de baixar mais em horários no meio da manhã e tarde, que não tem congestionamento, para que os trabalhadores e estudantes possam procurar emprego.

Relação com o legislativo

O candidato afirmou que tem independência partidária, mas que isso não significa que ele vai ignorar os outros poderes. “O poder que vem do povo é o legislativo e é relevante na fiscalização do prefeito, dos secretários e na elaboração das leis, sobretudo do orçamento anual. Está no plano de governo a cooperação com o legislativo, independente da cor partidária”, contou.

Madrinha Política

“Minha madrinha é a Constituição”, afirmou e continuou: “Não abro mão, me formou tanto politicamente, quanto como cidadão e profissional”. Mas quanto a referência de estadista e de posição ética nacional, Monteiro citou a ex-candidata a presidenta, Marina Silva. “Foi por isso que vim para esse partido”, disse.

Carlos Monteiro ressaltou que sua ideologia progressista, lembrando sua participação nos movimentos sociais e comprometimento com a constituição, justiça social e busca da dignidade da pessoa humana. “Nosso compromisso é com a família, criança, o adolescente, pessoas vulneráveis, a população de rua que aumentou com a pandemia, além de aliar o empreendedorismo. Nada contra o capitalismo, mas vamos aliar isso ao desenvolvimento sustentável”, ressaltou.

Propostas

O principal foco, de acordo com Monteiro, é combate à pobreza. “Trabalho com esse tema há 10 anos como procurador. A miséria aumentou com a crise do coronavírus e precisa ser enfrentada”, disse.

Educação – A valorização dos professores, do piso salarial e criação de escolas integrais em todos os bairros são promessas do candidato. Ele também destacou a união da Guarda Municipal com as escolas e prometeu concurso público. “Vai ser um governo de concursos públicos dentro da austeridade e respeito à Lei de Responsabilidade Fiscal”, garantiu.

O candidato também quer que os alunos terminem o 9º ano sabendo as quatro operações matemáticas e redação. “O aluno na idade certa, aprendendo o conteúdo certo”, contou.

Cultura – Monteiro também pretende levar os pais para as escolas no fim de semana e criar arenas culturais nos mercados públicos para serem utilizadas à noite pela população.

Ele também sugeriu um mutirão de conciliação para combater a sonegação e desperdício, além de rever renúncias de ISS que chegam a valores superiores ao orçamento anual da cidade.


Marília Domingues


FALA PARAÍBA-BORGES NETO